Inscreva-se já.

Este documento atualiza as estratégias para prevenção de pneumonia associada à ventilação mecânica em Hospitais com centro de tratamento intensivo, publicados em 2014. Nesta parte:

  • Indicadores de processo
  • Indicadores de resultados
  • Bundles de prevenção

Indicadores de desempenho 

Monitoramento e relatórios

Monitoramento regular e relatórios internos dos resultados dos pacientes e taxas de adesão às estratégias de prevenção recomendadas (indicadores de processo) são estratégias importantes de melhoria da qualidade.

Tanto os relatórios de resultados quanto de indicadores de processo são provavelmente benéficos: melhorar os resultados é o objetivo principal dos programas de melhoria do cuidado, mas o processo de vigilância do cuidado pode ajudar a identificar processos específicos para melhorar.

Relate as medidas de resultados para as principais partes interessadas da organização, incluindo prestadores de cuidados da linha de frente, líderes de serviços (médicos, enfermagem, terapia respiratória) e administradores hospitalares seniores. Divulgar esses dados para provedores e líderes tem sido associado a melhorias nas taxas de desempenho e nos resultados.

Relate as medidas do processo apenas internamente. O relatório externo de dados de medição de processo não é apropriado, devido variabilidade nas maneiras como diferentes organizações definem, coletam, analisam e apresentam dados de medição de processo.

Indicadores do processo

As definições de medidas de processo e estratégias de medição variam muito.

Para organizações que coletam e relatam medidas de processo:

Defina claramente as medidas, incluindo fontes de dados, critérios de inclusão e exclusão, frequência de monitoramento e critérios de numerador e denominador.

Desenvolva um sistema formal para documentar a conformidade.

A adesão pode ser medida por meio de observações diretas ou auditorias de prontuários de pacientes, listas de verificação à beira do leito e/ou registros médicos eletrônicos. Valide periodicamente a precisão da documentação de forma manual e/ou eletrônica.

Faça avaliações regularmente.

A frequência ideal das avaliações (por exemplo, uma vez ao dia, duas vezes ao dia ou semanalmente) não é conhecida, mas provavelmente pode ser ajustada com base nas taxas de adesão e no tamanho da unidade.

Uma análise de um grande esforço colaborativo de melhoria de qualidade sugere que a abordagem a seguir pode ser usada para determinar a frequência das avaliações de medidas de processo.

Comece medindo os processos diariamente. Se o cumprimento for consistentemente alto para um determinado processo, então diminua a frequência das medidas (ou seja, uma vez a cada 2-3 dias ou uma vez por semana, e se a adesão continuar alta, então diminua para uma vez por mês). Se a conformidade for baixa ou variável, continue com as medições diárias.

Para unidades com pelo menos 30 dias de ventilação por mês, medir a conformidade em 7 dias consecutivos por mês fornece estimativas de desempenho precisas

Para unidades com menos de 30 dias de ventilação por mês, a coleta diária de dados é necessária para obter estimativas de desempenho precisas.

Não há consenso sobre a melhor forma de definir a adesão a diferentes medidas de processo e as definições para medir a adesão variam muito.

Vários estudos publicados fornecem exemplos de como essas medidas devem ser definidas. Essas abordagens podem ser usadas como pontos de partida para elaborar estratégias locais para definir a adesão.

Bundles de prevenção 

Os bundles de prevenção são difundidos em cuidados intensivos e têm sido associados a reduções na PAV, eventos associados à ventilação mecânica, pneumonia adquirida no hospital não associada à ventilação mecânica e, em alguns casos, tempo de internação e mortalidade.

Uma metanálise de 13 estudos observacionais em adultos descobriu que a implementação de bundles de ventilação foi associada a uma redução de 10% na mortalidade, menor tempo para extubação e menor tempo de permanência hospitalar. Todos os estudos incluídos nesta análise, no entanto, foram do tipo antes e depois ou de análises de séries. Portanto, é difícil discernir até que ponto as taxas mais baixas de PAV e melhores resultados se devem a bundles de prevenção versus mudanças no mix de pacientes ou mudanças não relacionadas no atendimento. Análises observacionais de bundles pediátricos relataram reduções significativas nas taxas de PAV, mas poucos dados estão disponíveis em outros resultados.

Os bundles de prevenção foram testados apenas em um estudo clínico randomizado. Pesquisadores no Brasil randomizaram 188 UTIs para uma intervenção multifacetada incluindo checklists para prevenção de PAV avaliações diárias de metas e avisos aos médicos. Não houve diferenças significativas entre unidades de intervenção versus unidades clínicas nas taxas de PAV ou taxas de mortalidade. Esses resultados devem ser interpretados com cautela, no entanto, dado que a adesão inicial a algumas medidas do processo já era alta (por exemplo, elevação da cabeceira da cama), a adesão a outras medidas não melhorou (por exemplo, sedação leve, ventilação com baixo volume corrente) e o período de intervenção pode ter sido muito breve para alcançar mudanças significativas.

Não há consenso sobre quais processos incluir nos bundles de prevenção de PAV/ pneumonia associada à ventilação mecânica. Os bundles variam muito entre os diferentes centros.

Componentes dos parâmetros de ventilação potencialmente associados a taxas de mortalidade mais baixas incluem educação da equipe, feedback, e em adultos, elevando a cabeceira da cama, minimizando sedação e avaliação da prontidão para extubação. Estratégias promissoras adicionais incluem manejo conservador dos fluídos, ventilação com baixo volume corrente e mobilidade precoce.

A conformidade pode ser relatada para cada medida de processo individualmente e/ou como conformidade “total ou nenhuma” com um conjunto de medidas de processo. Para conformidade ‘toda ou nenhuma’, o crédito é dado apenas se todos os componentes tiverem sido realizados e documentados; se algum componente não foi executado e/ou não foi documentado, nenhum crédito é dado.

Parte anterior: https://www.ccih.med.br/prevencao-de-pneumonia-hospitalar-guia-shea-2022-parte-11/

Próxima parte: https://www.ccih.med.br/prevencao-de-pneumonia-hospitalar-guia-shea-2022-parte-13/

Fonte: Klompas M, Branson R, Cawcutt K, Crist M, Eichenwald EC, Greene LR, Lee G, Maragakis LL, Powell K, Priebe GP, Speck K, Yokoe DS, Berenholtz SM. Strategies to prevent ventilator-associated pneumonia, ventilator-associated events, and nonventilator hospital-acquired pneumonia in acute-care hospitals: 2022 Update. Infect Control Hosp Epidemiol. 2022 Jun;43(6):687-713

Link: https://www.cambridge.org/core/journals/infection-control-and-hospital-epidemiology/article/strategies-to-prevent-ventilatorassociated-pneumonia-ventilatorassociated-events-and-nonventilator-hospitalacquired-pneumonia-in-acutecare-hospitals-2022-update/A2124BA9B088027AE30BE46C28887084

Links relacionados:

https://shea-online.org/wp-content/uploads/2022/02/2022-Handbook-Update-Approved-Posted.pdf

https://www.cambridge.org/core/services/aop-cambridge-core/content/view/8E1C86D874AB23D1D5D8A4BBD86E6C3E/S0899823X0019378Xa.pdf/introduction-to-a-compendium-of-strategies-to-prevent-healthcare-associated-infections-in-acute-care-hospitals-2014-updates.pdf

https://www.ajicjournal.org/article/S0196-6553(20)30124-3/fulltext

https://www.ccih.med.br/como-e-por-que-controlar-as-infeccoes-hospitalares/

https://www.ccih.med.br/prevencao-de-pav/

https://www.ccih.med.br/pneumonia-hospitalar/

https://www.ccih.med.br/oms-competencias-essenciais-para-profissionais-de-prevencao-e-controle-de-infeccao-volume-3/

https://www.ccih.med.br/prevencao-de-pneumonia-hospitalar-nao-associada-a-ventilacao-mecanica/

Sinopse por: Thalita Gomes do Carmo

https://www.instagram.com/profa.thalita_carmo/

TAGs: indicadores de processo, indicadores de resultado, bundles, pneumonia, PAV, qualidade, conformidade



Ficou interessado? Conheça nossos cursos MBA's e Express