O que pode aprimorar a estratégia multimodal da OMS para promover a higiene das mãos em hospitais brasileiros?

Leia sobre a experiência de um hospital curitibano.

A Organização Mundial da Saúde (OMS), frente à relevância da temática da segurança na prestação ao cuidado ao paciente em instituições de saúde, propôs as Seis Metas Internacionais para Segurança do Paciente. A Meta 5 tem por objetivo reduzir o risco de infecções relacionados aos cuidados de saúde, sendo que uma das maneiras de cumprir este desafio é a realização da higienização das mãos nos 5 momentos preconizados pela OMS. Entretanto, para que isso seja efetivamente implantado é necessário adotar uma estratégia envolvendo múltiplos componentes como educação, auditorias e campanhas informativas. Este estudo quantitativo descritivo retrospectivo, tem como objetivo descrever as ações realizadas para implantação da estratégia multimodal de Higienização das Mãos em um hospital privado em Curitiba-PR e analisar o impacto dessas ações na adesão a meta 5 entre os anos de 2016 e 2017. Espera-se que este estudo demonstre as alterações ocorridas na instituição sobre o tema, além de evidenciar a mudança comportamental dos profissionais envolvidos na assistência ao paciente frente a higienização das mãos.

Este estudo evidenciou que a estratégia multimodal para promoção da higiene de mãos foi completamente implantada na instituição, cumprindo-se todas as etapas recomendadas pela OMS e propiciou melhora significativa na adesão a meta 5 após um ano da implantação.

Apesar do aumento da adesão na prática de higienização das mãos entre os dois anos analisados, percebe-se fragilidades principalmente nos momentos antes do contato com o paciente, antes de procedimentos e após contato com áreas próximas ao paciente, no qual ações devem ser desenvolvidas e fortalecidas, tais como o envolvimento do paciente como coadjuvante nesse processo e a criação de times de auditores de higienização das mãos em vários setores da instituição.

O uso do álcool em gel foi bem aceito pelos profissionais para higienizar as mãos desde o início da estratégia e é necessário a manutenção desta prática em todos os setores e turnos de trabalho para que não seja esquecida e/ou modificada.

A educação dos profissionais sobre o tema deve ser contínua, com abordagem multiprofissional e criativa para que a higienização das mãos possa ser trabalhada, reforçada e realizada por todos durante a assistência ao paciente.

Reforçamos que o apoio das lideranças de todos os níveis e investimentos para prática da higienização das mãos são fundamentais para implantação e manutenção da estratégia multimodal.

 

Autora: Vanusa Aparecida do Rocio Boumer

 


Ficou interessado? Veja nossos cursos MBA em CCIH e CME.