Existem recomendações para que tenha pressão negativa em áreas que se realizam procedimentos contaminados. Como esta necessidade pode ser comprovada na prática? Será um mito ou um fato? Será válido para doenças transmitidas por aerossóis, como tuberculose? Vamos falar sobre isso com a Professora Kazuko e sua orientada em doutorado Alda Almeida.


Ficou interessado? Veja nossos cursos MBA em CCIH e CME.