Inscreva-se já.

O rastreamento de contatos de pacientes/clientes com COVID-19, para isolamento social precoce, é utilizado nos Estados Unidos, com um importante pilar de auxílio para reabertura do comércio com segurança. O estudo apresenta como o Programa de Ratreamento Penn State Health da cidade de Hershey, alcançou ótimos resultados na execução desse processo, aplicando um script estruturado para abordagem em ligações telefônicas.

Como foi desenvolvido o script para realização das ligações telefônicas?

O The Association of State and Territorial Health Officials (ASTHO) desenvolveu um instrumento direcionador para a realização de ligações telefônicas para contatos de pacientes/clientes com COVID-19. Nesse script o interlocutor se apresenta, aborda o objetivo da ligação, solicita a confirmação de alguns dados clínicos específicos do COVID-19 e orienta que a pessoa pense nos últimos dias, as pessoas que teve contato, um dos auxílios para recordar, de acordo com o script é verificar as compras realizadas no cartão.

O Programa de Rastreamento Penn State Health da cidade de Hershey realizou uma revisão desse instrumento, tornando-o humanizado, utilizando estratégia de sensibilização, na qual orientava que a participação não era obrigatória, mas o quão era importante a participação no programa, para inibir a propagação da doença. E, também, incorporou técnica para reduzir preocupações com os dados informados, deixando claro que todos os dados seriam mantidos confidenciais.

Quais resultados foram alcançados pelo Programa de Rastreamento?

No estudo é abordado que foram realizadas 87% das ligações, sendo 62,5% das ligações bem-sucedidas, ou seja, os pacientes responderam os questionamentos do programa de rastreamento.

Esse dado foi comparado com 3 cidades: Condado, Massachusetts e Nova York, sendo que de acordo com o estudo, Massachusetts dispunha de um programa de rastreamento organizado e estruturado, e que teve sucesso em apenas 60% das chamadas telefônicas.

Quais as principais conclusões e comentários finais?

O estudo apresenta algumas fragilidades em seu desenvolvimento, como os próprios autores abordam, pois não foi realizado um teste controlado aleatório na mesma população, comparando com o script ASTHO, bem como outros fatores, como por exemplo, sociodemográfico podem interferir nos resultados.

No entanto, diversos estudos que abordam comportamento e comunicação, apontam que a abordagem de forma empática é fundamental para sensibilizar os interlocutores e nesse contexto, possivelmente favoreceu a participação dos pacientes/clientes no programa de rastreamento Penn State Health.

Fonte: CN Sciamanna et al.  Using Persuasion science to improve COVID-19 contact tracing. American Journal of Infection Control, 528 – 529, 2021.

Sinopse por: Cíntia A. Laurindo da Silva

Lattes:http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K8736134P0

Linkedin: https://www.linkedin.com/in/c%C3%ADntia-laurindo-da-silva-4254bb136/

E-mail: [email protected]



Ficou interessado? Conheça nossos cursos MBA's e Express