A emergência e disseminação de germes multirresistentes é um desafio para o controle de infecção em todo o mundo. Dentre estes microrganismos se destaca o Enterococo, que apresenta termo tolerância, teoricamente podendo sobreviver às temperaturas atingidas durante o reprocessamento da roupa hospitalar. Uma equipe do Departamento de Microbiologia do Hospital Freeman realizou um experimento para ver se este microrganismo sobrevivia na roupa hospitalar, após o processo de lavagem.

As cepas de Enterococo estudadas (retiradas de casos de infecção hospitalar) conseguiam sobreviver por até 30 minutos a oitenta e cinco graus centígrados. As lavanderias hospitalares da Inglaterra, que foram estudadas, atingiam durante o ciclo de lavagem da roupa hospitalar as seguintes temperaturas pelos respectivos tempos: 71 graus por 10 minutos; 75 graus por 10 minutos; oitenta graus de três a oito minutos e meio dependendo da lavanderia. Entretanto em roupas experimentalmente contaminadas e submetidas ao processo de lavagem houve uma redução significativa da carga microbiana, podendo-se concluir pela segurança do processo de lavagem hospitalar.

Os autores acreditam que esse resultado foi devido a associação de processos a que submetida a roupa hospitalar, que inclui além da exposição ao calor, o uso de detergentes, que além de removerem sujidade apresentam propriedades germicidas e o processo de calandragem que submete a roupa a latas temperaturas associada a pressão. Os autores ressaltam que apesar da comprovação da eficácia do reprocessamento, cuidados devem ser tomados para evitar a recontaminação da roupa durante o reprocessamento ou mesmo seu transporte e estocagem.

 

FONTE: Orr KE, Holliday MG, Jones AL, Robson I Perry JD. Survival of enterococci during hospital laundry processing. J Hosp Infect (2002) 50: 133-139.

Resumido por: Antonio Tadeu Fernandes.



Ficou interessado? Veja nossos cursos MBA em CCIH e CME.