Uma equipe inglesa multo profissional e multi institucional está elaborando um guia para higiene das mãos, avaliando criticamente as evidências científicas e a opinião de especialistas.

Foram elaborados cinco princípios apresentados a seguir:

 

1º) Cada instituição deve ter uma política de recomendações para a higiene das mãos:

a) A política e as recomendações devem estar documentadas por escrito;

b) As recomendações devem incluir a necessidade de descontaminação das mãos após cada procedimento com o paciente;

c) As recomendações devem ser revisadas a cada dois anos, constando a data da última revisão no documento.

 

2º) O programa educativo para higiene das mãos deve atingir todos os grupos de profissionais da instituição:

a) A CCIH deve ter um programa educativo;

b) O programa educativo deve revisado anualmente;

c) Todos os profissionais de saúde devem ser incluídos neste programa;

d) O programa educativo deve ser apresentado na admissão dos profissionais.

 

3º) Ao lado de cada leito ou em cada área de contato com o paciente devem ter recursos que facilitem a higiene das mãos:

a) Soluções alcoólicas devem estar disponíveis próximas ao leito ou área de contato com o paciente para que os profissionais de saúde apliquem nas mãos não sujas;

b) Pias, dispensadores de sabão e toalhas devem estar disponíveis nas proximidades de cada leito ou área de contato com paciente.

 

4º) Deve-se realizar anualmente um programa para avaliar a existência de recursos para a higiene das mãos:

a) Cada instituição deve realizar anualmente um programa que avalie a existência de recursos para a higiene das mãos;

b) Os resultados desta avaliação devem ser discutidos na CCIH.

 

5º) Toda a instituição deve realizar anualmente um programa que avalie a aderência dos profissionais de saúde à higiene das mãos:

a) A CCIH, em conjunto com a direção da instituição, deve realizar um programa anual que avalie a aderência da higiene das mãos;

b) Os resultados devem ser discutidos pela CCIH e com os profissionais de saúde;

c) A CCIH deve elaborar indicadores epidemiológicos para avaliar continuamente a aderência à higiene das mãos, encaminhando seus resultados aos profissionais de saúde. Entre os indicadores são sugeridos: aquisição de MRSA ou consumo dos produtos de higiene das mãos.

 

Fonte: Cookson B, et al. Draft hand hygiene standards. J Hosp Infect (2001) 49:153.

Resumido por: Antonio Tadeu Fernandes.


Ficou interessado? Veja nossos cursos MBA em CCIH e CME.