As Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde causam, devido à gravidade e impacto sócio-econômico, preocupação e interesse acerca de seu controle e prevenção. Mesmo nas cirurgias limpas e especializadas, como a cirurgia cardíaca, ocorrem casos que desafiam as equipes de saúde, dentre eles, a infecção de sítio cirúrgico. Conhecer a prevalência destas infecções contribui para melhora dos dados de vigilância e sua prevenção.

Foi realizado um estudo retrospectivo de uma série de casos com objetivo de descrever a prevalência das infecções em sítio cirúrgico dos pacientes de um hospital terciário de Campo Grande-MS. Foram avaliados 416 indivíduos entre março de 2010 e fevereiro de 2011. Os resultados demonstraram 20 (4,8%) casos de infecção de sítio cirúrgico, tendência esperada de 1% a 5% segundo o grau de contaminação para cirurgia limpa descrito na literatura. Foram observadas treze (13) infecções superficiais, três (3) profundas e quatro (4) de órgão cavidade. Dentre os casos houve seis (6) casos de reinternação e três (3) pacientes evoluíram para óbito. O microrganismo predominante foi Sthaphylococcus aureus, sendo dois (2) casos MRSA. O estudo permite conhecer a realidade do hospital com maior clareza e reafirma a necessidade da prevenção das Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde.

 

Autora: Cynthia Adalgisa Mesojedovas de Aguiar

 


Ficou interessado? Veja nossos cursos MBA em CCIH e CME.