Inscreva-se já.

Como os Estados Unidos estão contratando profissionais para suas equipes de CCIH? Este estudo da APIC tenta responder esta questão. 

Qual a justificativa do estudo?

A prevenção de infecção é uma profissão que requer alta especificidade de habilidades e experiencia clínica. Os profissionais de prevenção de infecção (PPIs) direcionam intervenções que protegem os pacientes de infecções associadas aos cuidados de saúde em ambientes clínicos e comunitários.

Qual o objetivo do estudo?

Em 2015 a Associação de Profissionais em Controle de Infecção e Epidemiologia (APIC) realizou uma pesquisa com o intuito de descrever o então atual estado das contratações dos departamentos de IPC, demografia dos PPIs, o papel dos PPIs em suas organizações e aspectos chaves de prevenção de infecção. Foi notada uma lacuna referente a compreensão das práticas de contratação e recrutamento dos profissionais de PI. Sendo assim, o objetivo deste estudo foi de compreender as estratégias de contratação e recrutamento de profissionais de PI atuais nos Estados Unidos.

Qual metodologia foi empregada?

Foi realizada uma pesquisa nacional transversal online com membros da APIC que participam do recrutamento e contratação de preventores de infecção (PIs) em sua organização. Estatísticas descritivas foram calculadas para dados demográficos organizacionais e respondentes, estratégias de recrutamento de PI e práticas de contratação.

Quais os principais resultados?

No outono de 2019, 1135 dos 14675 membros ativos da APIC (8%) abriram a pesquisa; dentre estes, 522 membros de 101 das 114 filiais da APIC (89%) participaram da pesquisa. Uma posição vaga de PI foi relatada por 25% (n=126) dos entrevistados. As contratações recentes de PI foram principalmente enfermeiras (70%; n=346) recrutadas de fora da organização (54%; n=270). Painéis de emprego online (por exemplo, Indeed e Monster) e anúncios de empregos internos a organização foram as estratégias de recrutamento usadas com mais frequência.

Quais as limitações do estudo?

Os autores relatam como limitações a total dependência no autorrelato dos profissionais de saúde participantes que podem não refletir as opiniões ou crenças de todos os funcionários da área de saúde e que não podem ser generalizáveis a outras organizações ou especialidades da área da saúde; além disso declaram a possibilidade de divergência das praticas de recrutamento em comparação a outras organizações; por fim, relatam a possibilidade de que as perguntas da pesquisa não capturem totalmente o contexto dos departamentos de prevenção de infecção, nem as praticas de recrutamento e contratação atualmente em uso.

Quais as conclusões e recomendações finais?

Os resultados fornecem um resumo das práticas de recrutamento e contratação de PIs que podem prover informações as iniciativas locais e nacionais para aumentar o número e diversidade de profissionais de PI.

Que críticas e comentários?

Apesar da amostragem a nível nacional, deve-se notar que o estudo foi realizado apenas com os membros ativos de uma única associação. Por fim, apesar da taxa de respostas considerada aceitável pelos autores, ressalto também o pequeno contingente de respondentes, apenas 522 dentre os 14675 membros aos quais a pesquisa foi ofertada. Além disso, não houve um aprofundamento na discussão do perfil dos profissionais selecionados, pré-requisitos para os candidatos e dos critérios empregados na contratação, informações que seriam de grande relevância.

Fonte: Recruitment and hiring practices in United States infection prevention and control departments: results of a national survey. American Journal of Infection Control, January 2021, Volume 49, Pages 70-74.

Sinopse por: Maria Julia Ricci

E‐mail: [email protected]

Instagram: @mariajuliaricci_



Ficou interessado? Veja nossos cursos MBA em CCIH, CME e EQS