Promoção Juho Azul Celeste - Inscrição por apenas R$ 50,00 e mensalidades por apenas R$ 200,00

A higiene das mãos tem papel central e pode inclusive ser considerada como a intervenção mais importante para a diminuir a incidência de Infecções por meio da interrupção da cadeia de transmissão dos microrganismos no ambiente de cuidados a saúde. O objetivo do estudo foi investigar a percepção dos profissionais de saúde sobre a prevenção de infecções na organização de saúde e a percepção – e aceitação – de um sistema eletrônico que visa incentivar a higiene das mãos.

Qual a justificativa do estudo?

As infecções associadas aos cuidados de saúde (HCAIs) tem um grande impacto negativo na morbidade, mortalidade e qualidade de vida. Em todos os planos de ação baseados em evidência para reduzir HCAIs, a higiene das mãos tem papel central e pode inclusive ser considerada como a intervenção mais importante para a diminuir a incidência de HCAIs por meio da interrupção da cadeia de transmissão dos microrganismos no ambiente de cuidados a saúde. As guidelines da OMS ressaltam a necessidade de mudança comportamental tanto no nível individual quanto a nível de organização/instituição para que haja um aumento da aderência a higiene das mãos. Existem diversos estudos que a demonstram os benefícios da adoção de sistemas eletrônicos para lembrar e/ou notificar os profissionais de saúde e assim aumentar a conscientização e a adesão à higiene das mãos contudo são ainda escassos estudos sobre a aceitação desse tipo de intervenção.

Qual o objetivo do estudo?

O objetivo do estudo foi investigar a percepção dos profissionais de saúde sobre a prevenção de infecções na organização de saúde e a percepção – e aceitação – de um sistema eletrônico que visa incentivar a higiene das mãos.

Qual metodologia foi empregada?

Foi realizado um estudo descritivo, de caráter qualitativo, com coleta de dados por meio de entrevistas semiestruturadas com grupos focais. Foram realizadas, em um hospital universitário na Suíça central, 8 entrevistas com grupos compostos por auxiliares de enfermagem (3), enfermeiros (3) ou médicos (2) e totalizando n=38. Análise de conteúdo foi aplicada e os dados foram relacionados à Teoria do Comportamento Planejado (Theory of Planned Behaviour – TPB).

Quais os principais resultados?

Dentre profissionais de saúde – dos quais a maioria trabalhava no hospital a >2 anos (65%) – 20% reportou não haver recebido educação sobre higiene das mãos desde o início do período de trabalho e 53% não ter recebido nenhuma no último ano.

Os profissionais de saúde perceberam a falta de feedback por parte do hospital e são otimistas em relação a um sistema de lembrete eletrônico para aumentar a adesão a higienização das mãos. O sistema, na opinião dos participantes, não deve registrar dados a nível individual pois poderia ser utilizado como instrumento de controle pela gestão e assim levar a situações estressantes para a equipe. Além disso, foi reportada preocupação com o caráter quantitativo dos dados coletados já que o sistema não é capaz de avaliar a qualidade da higienização realizada; contudo, a presença de um sistema de lembretes aumentou a reflexão dos profissionais sobre os procedimentos e a importância da higiene das mãos.

Quais as conclusões e recomendações finais?

Em geral, há uma aceitação positiva do sistema de lembrete eletrônico e os respondentes percebem que ele tem a capacidade de mudar comportamentos. No entanto, o conceito deve ser desenvolvido para proteger a integridade do indivíduo e deve ser usado com feedback em um nível de grupo.

Quais as limitações do estudo?

Os autores ressaltam que por ter sido um estudo qualitativo há uma possível dificuldade de generalizar os resultados; contudo, para aumentar a confiabilidade dos resultados foi realizada uma análise triangulada das entrevistas com múltiplos pesquisadores. Além disso, há um possível viés de seleção já que foi realizada amostragem por conveniência.

Que críticas e observações finais?

Uma curiosa observação realizada é que todas as alas, exceto pela de cardiologia, possuíam dispenser de desinfetante de mãos a base de álcool em ambos os lados dos leitos. A ala de cardiologia era também a única a não possuir um facilitador para o controle de infecção, como recomendado pelas diretrizes da OMS e da Estratégia Multimodal de Melhoria da Higiene das Mãos (Multimodal Hand Hygiene Improvement Strategy).

Ressalto também que o sistema tem um funcionamento interessante, consistindo de um transmissor no pump e 2 receptores (um a nível central e um a nível individual). Esse sistema é resultado da colaboração entre dois departamentos de duas faculdades e um ótimo exemplo do potencial da colaboração acadêmica na prática clínica.

Por fim é necessário refletirmos sobre a utilização dos dados coletados. A funcionalidade dos dados coletados por um sistema como o do estudo apenas torna-se real quando aliada a uma correta utilização dos mesmos pelas figuras de liderança e gestores da instituição. É fundamental que esses dados sejam utilizados pelas lideranças nos feedbacks às equipes e pelos gestores ao planejar ações e projetos dentro da organização. Por si só, um sistema de lembretes é capaz apenas de gerar reflexão a nível individual sobre a importância da frequente e correta higienização das mãos; é extremamente necessário aliar o capital tecnológico com o capital humano para criar uma mudança comportamental efetiva.

Fonte: Bloomgren PO, Lytsy B, Hjelm K, Swenne CL. Healthcare workers’ perceptions and acceptance of an electronic reminder system for hand hygiene. J Hosp Infect. 2021 Feb; 108:197-204.

Sinopse por: Maria Julia Ricci

Contato: [email protected]

 



Ficou interessado? Veja nossos cursos MBA em CCIH e CME.