O Dr. Gillespsie, microbiologista do Lanarkshire Acute Hospital, encaminhou carta ao The Journal Hospital Infections comentando a experiência que teve em hospital, no qual os acompanhantes e os pacientes foram envolvidos em campanha para estimular os profissionais de saúde lavarem suas mãos. Sua esposa foi internada para cesareana em instituição que adota esta prática e ele foi orientado a participar desta campanha.

Do artigo original, ele critica o pequeno tamanho da amostra, apesar das diferenças obtidas. Ele acredita que a equipe do controle de infecção está transferindo para pacientes e familiares algo que foi incapaz de fazer: convencer os profissionais de saúde para a higiene das mãos. Se os controladores de infecção foram ineficientes neste objetivo, o que dizer dos pacientes ou familiares que se encontram em situação vulnerável pelas conseqüências da doença. Devem ser reforçados os programas de educação continuada, ao lado da disponibilização de recursos para lavagem ou anti-sepsia das mãos. A responsabilidade pela lavagem das mãos não deve ser transferida para os pacientes.

 

Fonte: Gillespie T. Patient empowerment to improve handwasihng compliance by helathcare workers. J Hosp Infect (2001) 49: 299.

Resumido por: Antonio Tadeu Fernandes em 2002


Ficou interessado? Veja nossos cursos MBA em CCIH e CME.