Promoção Juho Azul Celeste - Inscrição por apenas R$ 50,00 e mensalidades por apenas R$ 250,00

Um novo relatório divulgado hoje destaca as conquistas e lacunas na implementação das estratégias globais do setor de saúde para HIV, hepatite viral e infecções sexualmente transmissíveis (ISTs) de 2016-2021 e descreve as principais etapas necessárias para eliminar essas doenças como uma ameaça à saúde pública por 2030.

O relatório contém novas estimativas para hepatite viral e as quatro principais ISTs evitáveis ​​e curáveis; e a maioria das metas não havia sido alcançada até 2020, mesmo antes do início da pandemia COVID-19.

  • HIV, hepatite viral e infecções sexualmente transmissíveis continuam a ser grandes ameaças à saúde pública e respondem por 1 milhão de novas DSTs por dia e, quando tomadas em conjunto, resultam em 2,3 milhões de mortes e 1,2 milhões de cânceres por ano.
  • Novos dados mostram que as hepatites B e C causam 3,0 milhões de novas infecções e 1,1 milhão de mortes em 2019. Apenas 10% das pessoas que têm infecção crônica pelo vírus da hepatite B são diagnosticadas; 22% dos quais recebem tratamento. Para a infecção por hepatite C, 21% das pessoas são diagnosticadas e 62% das quais recebem tratamento. Apesar do progresso em relação às metas de hepatite para 2020, as lacunas para atingir as metas de 2030 são enormes.
  • Com 1,7 milhão de pessoas infectadas pelo HIV em 2019, a incidência do HIV caiu para o menor número anual desde 1990. No entanto, isso permanece muito abaixo da meta global de menos de 500.000 pessoas infectadas até 2020.
  • Novos dados sobre DSTs mostram 374 milhões de novos casos por ano. Além de declínios lentos na sífilis congênita, a incidência da maioria das outras ISTs está se estabilizando, apesar de metas ambiciosas.

Um desafio importante é que muitas pessoas não conseguem acessar intervenções vitais. Em muitas situações, as populações mais afetadas e de maior risco, os jovens e os estigmatizados por essas doenças, estão perdendo serviços. Os serviços de teste de HIV, prevenção e serviços de IST também foram interrompidos durante o COVID-19. A pandemia forçou os três programas de doenças a inovar para oferecer e manter serviços de saúde essenciais.

Confira a matéria na íntegra em: https://www.who.int/news/item/20-05-2021-new-report-highlights-global-progress-on-reducing-hiv-viral-hepatitis-and-sexually-transmitted-infections-and-signals-need-for-renewed-efforts-to-reach-2030-targets

Elaborado por Laura Czekster Anthochevis

Contatos: [email protected] ou http://linkedin.com/in/laura-czekster-antochevis-457603104



Ficou interessado? Veja nossos cursos MBA em CCIH e CME.