Inscreva-se já.

A carga global de estreptococos do Grupo B é muito maior do que anteriormente reconhecida, ligada a mais de meio milhão de nascimentos prematuros anualmente e levando a quase 100.000 mortes de recém-nascidos, pelo menos 46.000 natimortos e deficiências significativas de longo prazo.

Embora a bactéria seja inofensiva para a maioria das mulheres grávidas que a carregam, pode ser extremamente grave quando passa para os bebês durante a gravidez, o parto ou nas primeiras semanas de vida.

Novas vacinas são urgentemente necessárias para reduzir as mortes associadas aos estreptococos do Grupo B e proteger a vida e a saúde de crianças em todo o mundo.

Um novo relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS) e da Escola de Higiene e Medicina Tropical de Londres (LSHTM) revela o impacto global alarmante do estreptococo do Grupo B (GBS) – uma bactéria comum que pode ser transmitida no útero, durante o nascimento, ou nas primeiras semanas de vida – levando a cerca de 150.000 mortes de bebês a cada ano, mais de meio milhão de nascimentos prematuros e deficiências significativas de longo prazo.

O relatório apela urgentemente para o desenvolvimento de vacinas maternas contra GBS para reduzir esse número, enfatizando que elas podem ser altamente econômicas – com benefícios significativos para a saúde – em todas as regiões do mundo.

https://www.who.int/news/item/02-11-2021-urgent-need-for-vaccine-to-prevent-deadly-group-b-streptococcus

Editado por Laura Czekster Antochevis

Contatos: [email protected]  ou http://linkedin.com/in/laura-czekster-antochevis-457603104



Ficou interessado? Veja nossos cursos MBA em CCIH, CME e EQS