Inscreva-se já.

Precisamos utilizar alguns critérios para direcionamento da escolha dos instrumentais que serão adquiridos pela instituição. Quais características dos produtos compostos por aço cirúrgico precisam ser avaliadas? A enfermeira e professora Jeane Bronzatti compartilhará conosco anos de experiência neste processo. Moderação com Jéssica Alves e Filipe Prohaska e participação especial da Prof. Kazuko Graziano. #instrumentalcirúrgico #cirurgia #aço #cme #centrocirúrgico #mbacme

Principais tópicos:
18:15 O que seria um instrumental cirúrgico de “boa qualidade”? Como diferenciar o “joio do trigo”? Certamente é no momento da especificação da solicitação da compra que a “boa qualidade” é assegurada. Poderia nos fornecer diretrizes?
36:28 O que o enfermeiro do CME deve saber sobre o aço cirúrgico para direcionar o pedido de compras do instrumental cirúrgico? Certamente há conhecimentos defasados/equivocados de que todo aço que se diz inoxidável é a mesma coisa. Exemplo, se deixarmos mergulhado em água potável uma lâmina de bisturi convencional, esta apresentará oxidação (ferrugem) em menos de uma semana o que não acontecerá com uma pinça cirúrgica de “boa qualidade”. Reforçar que nós gestores de CME somos responsáveis pelas especificações e não o setor de Compras. 44:02 Dentro da sua experiência, qual a durabilidade de um instrumental de “boa qualidade” e quais as manutençôes preventivas necessárias, especialmente as tesouras e as pinças de apreensão?
1:00:10 Qual deve ser o estoque de instrumental que um CME deve providenciar para reposições emergenciais ou programadas?
1:05:00 É fato ou mito que toda marcação no instrumental, seja a laser ou outra tecnologia, danifica de alguma forma a camada de passivação do instrumental? Confirme se essa marcação é importante essencialmente para controle do inventário? A montagem das caixas é agilizada por fitas coloridas ou outras tecnologias que utilizam cores (resina, argola dentre outros que conheço) e não pela marcação de cada instrumental.
1:26:30 onde encontro este livro sobre tratamento do instrumental da aesculap?
1:27:52 Por que a expressão: “antigamente o instrumental “durava a vida toda” e hoje não. É fato ou mito? Se fato, o que difere essencialmente na fabricação do instrumental atual?
1:31:06 Há dicas para nos ajudar de quando dar baixa no instrumental ou sempre vale a pena tentar restaurar?
1:32:42 Tesoura não se afia?
1:35:25 Quanto impacta visitar a fábrica dos fornecedores do instrumental cirúrgico antes de definir a compra? O que concretamente devemos avaliar nesta visita hipotética?



Ficou interessado? Conheça nossos cursos MBA's e Express