Inscreva-se já.

A pandemia de SARS-CoV-2 exacerbou a já existente e crescente epidemia de resistência antimicrobiana, aumentando o uso de antibióticos – que é o principal fator para o aumento da resistência antibiótica. O objetivo do estudo foi avaliar as mudanças no uso de antimicrobianos durante a pandemia de COVID-19 – de 1º de março de a 15 de maio de 2020 – e após a implementação de uma equipe de orientação multi especializada em comparação com a utilização antimicrobiana pré-COVID.

Qual a justificativa do estudo?

A pandemia de SARS-CoV-2 exacerbou a já existente e crescente epidemia de resistência antimicrobiana, aumentando o uso de antibióticos – que é o principal fator para o aumento da resistência antibiótica. Vários estudos já foram realizados, porém a prevalência real de coinfecção bacteriana em pacientes com COVID-19 ainda não é clara, fator que estimula a utilização de cobertura antibiótica empírica desnecessária.

Qual o objetivo do estudo?

O objetivo do estudo foi avaliar as mudanças no uso de antimicrobianos durante a pandemia de COVID-19 – de 1º de março de a 15 de maio de 2020 – e após a implementação de uma equipe de orientação multi especializada em comparação com a utilização antimicrobiana pré-COVID.

Qual metodologia foi empregada?

Foi realizado um estudo retrospectivo observacional em um hospital universitário de cuidados terciários (Vanderbilt University Medical Center – Tenessee). Foram envolvidos no estudo as equipes das unidades de medicina interna e de terapia intensiva, e pacientes COVID-19 hospitalizados em tais unidades.

Os pesquisadores utilizaram análise de diferenças de dias de terapia antibiótica (DOT) por 1000 pacientes-dia para as duas equipes, sempre analisando 3 períodos: pré-COVID (1º de dezembro – 29 de fevereiro), início COVID (1-22 de março) e após implementação das equipes (22 de março a 15 de maio). A tarefa das equipes incluiu recomendações diárias de stewardship antibiótica especifica a cada paciente. Os dados foram avaliados com regressão multivariável de Poisson.

Quais os principais resultados?

No período inicial de COVID-19 a utilização semanal de antibióticos aumentou nas equipes do departamento de medicina interna em 145.3 DOT e em 204 DOT na UTI em comparação ao período pré-COVID. No período de intervenção, ambas equipes apresentaram redução significativa – de 362.3 DOT no departamento de medicina interna e de 226.3 DOT na UTI. Dos 131 pacientes hospitalizados com COVID-19, 86 (65.6%) receberam antibióticos; nenhum fator específico ao paciente/caso foi significantemente associado a mudança nos dias de terapia antibiótica.

Quais as conclusões e recomendações finais?

O uso de antimicrobianos aumentou inicialmente nas equipes em contato com pacientes COVID em comparação com os níveis pré-COVID mas significantemente diminui após a implementação das equipes de orientação multi especializada, o que pode ser uma estratégia eficaz para reduzir o uso desnecessário de antimicrobianos.

Quais as limitações do estudo?

Os autores reconhecem limitações do estudo. Primeiramente, durante o período inicial e COVID-19 houve uma reduzida disponibilidade de testes e preocupações quanto a sensibilidade do RT-PCR; o que pode influenciar nas decisões clínicas dos profissionais de saúde. Ressaltam também a população relativamente pequena incluída no estudo, o que pode afetar a capacidade de identificação de associações positivas entre uso de antibióticos e características intrínsecas ao paciente. Não foi avaliado o uso de antibióticos por pacientes não internados.

Que críticas e observações?

O estudo tem grande importância cientifica, já que a interconexão entre resistência antibiótica e a pandemia de COVID-19 são ameaças a saúde individual e publica com potencial de exacerbação mútua. Os pesquisadores descrevem redução significativa com a introdução da equipe multi especializada focada no stewardship antibiótico; demonstrando, portanto, o papel fundamental do capital humano e intelectual na melhoria das práticas de prevenção e controle de infecção.

Fonte:  Staub MB, Beaulieu RM, Graves J, Nelson GE. Changes in antimicrobial utilization during the coronavirus disease 2019 (COVID-19) pandemic after implementation of a multispecialty clinical guidance team. Infect Control Hosp Epidemiol. 2021 Jul;42(7):810-816.

Sinopse por: Maria Julia Ricci

E-mail: [email protected]

Linkedin: www.linkedin.com/in/mariajuliaricci

Instagram: @mariajuliaricci_



Ficou interessado? Veja nossos cursos MBA em CCIH, CME e EQS