Inscreva-se já.

A pandemia de COVID-19 reverteu anos de progresso global no combate à tuberculose e, pela primeira vez em mais de uma década, as mortes pela doença aumentaram, de acordo com o relatório global da Organização Mundial da Saúde (OMS) de 2021.

Em 2020, mais pessoas morreram de tuberculose, com muito menos pessoas sendo diagnosticadas e tratadas ou recebendo tratamento preventivo em comparação com 2019. Os gastos gerais com serviços essenciais para a doença diminuíram.

O primeiro desafio é a interrupção do acesso aos serviços de tuberculose e a redução dos recursos. Em muitos países, recursos humanos, financeiros e outros foram realocados do combate à doença para a resposta à COVID-19, limitando a disponibilidade de serviços essenciais.

O segundo desafio é que as pessoas têm lutado para buscar atendimento no contexto de lockdowns.

Os países que mais contribuíram para a redução global das notificações de tuberculose entre 2019 e 2020 foram Índia (41%), Indonésia (14%), Filipinas (12%) e China (8%). Esses e outros 12 países responderam por 93% da queda global total das notificações.

Também houve redução na oferta de tratamento preventivo para tuberculose. Cerca de 2,8 milhões de pessoas acessaram em 2020, uma redução de 21% desde 2019. Além disso, o número de pessoas tratadas para tuberculose multirresistente (resistente aos medicamentos) caiu 15%, de 177 mil em 2019 para 150 mil em 2020, equivalente a apenas cerca de um em três dos necessitados.

https://www.paho.org/pt/noticias/14-10-2021-mortes-por-tuberculose-aumentam-pela-primeira-vez-em-mais-uma-decada-devido

Editado por Laura Czekster Antochevis

Contatos: [email protected]  ou http://linkedin.com/in/laura-czekster-antochevis-457603104



Ficou interessado? Veja nossos cursos MBA em CCIH, CME e EQS