Promoção Juho Azul Celeste - Inscrição por apenas R$ 50,00 e mensalidades por apenas R$ 250,00

Em meio à crise política estamos batendo recordes de novos casos e de óbitos, dependendo bastante de vacinação e medidas de contenção de transmissão. Neste contexto a elucidação de possível associação de vacinas com eventos adversos ganha importância. O que dizem as entidades brasileiras e mundiais a este respeito? Também temos posicionamento sobre vacinação de gestantes, puérperas e lactentes. Como evitar nova crise de oxigênio no Brasil, com aumento do número de casos? Apresentamos a programação da TV CCIH da semana. Aqui você tem informação da ciência para sua saúde, com confiabilidade. Boa leitura.

Programação da TV CCIH – 22 a 27 de março

Semana repleta de temas importantes em nossa TV CCIH. Os programas SuperAção e Encontro com Professores são abertos à todo público e o Plantão MBA é exclusivo aos nossos alunos. Confira a programação.

22/03. 20:00. Encontro com professores. Aspectos legais aplicados ao CME.

  • Conversamos com nosso professor o advogado Josenir Teixeira sobre as implicações legais do processamento de produtos para a saúde realizados pelo CME. Entre outros temas vemos as implicações legais do reuso de artigos ditos de uso único. Contamos também coma participação da professora Kazuko Graziano
  • Link: https://youtu.be/gUZ8S1IXPbw

23/03. 20:00. SuperAção. Pesquisa científica.

  • Recebemos neste SuperAção nosso professor Claudio Stadnick para compreendermos todas as etapas de uma pesquisa científica e sua importância para fundamentar nossas condutas, avaliando criticamente estes estudos. Até que ponto a ciência é o que comanda nossas ações e o que ela pode fazer para sua difusão, superando mitos e superstições. Moderação Laura Czekster e Filipe Prohaska.
  • Link: https://youtu.be/BVDVIu4FIi8

24/03. 20:00 Encontro com professores. Controle de pragas e da água

  • Recebemos a professora Olivia Palmeira para falar sobre dois temas que habitualmente a CCIH deve contribuir: controle de pragas e cuidados com a água hospitalar. Vamos conversar sobre como atuar nas interfaces dessas ações com a CCIH.
  • Link: https://youtu.be/-W8nq-dDSYg

25/03. 20:00. SuperAção. Pandemia, poluição e política.

  • Esta pandemia e seu controle levam a profundas reflexões relativas aos impactos da atividade humana na natureza e a importância de decisões políticas responsáveis. Conversamos sobre isso com o professor da FMUSP Ubiratan de Paula Santos. Moderação Beatriz Grion
  • Link: https://youtu.be/fl3aNMKGTGE

27/03. 9:00 as 12:00. Plantão MBA. Tema CME

  • Nesta atividade exclusiva para alunos e ex-alunos de nossos cursos os professores Kazuko Graziano e Antonio Tadeu respondem às dúvidas dos participantes. 

ANVISA: atualização do monitoramento da vacina de Oxford

Anvisa atualizou o seu comunicado sobre o monitoramento de eventos adversos relacionados ao uso da vacina de Oxford. A Agência concluiu que os dados não apontam alteração no equilíbrio benefício‐risco da vacina e recomenda a continuidade do seu uso pela população brasileira.

A conclusão foi reforçada após a realização de uma reunião entre a Anvisa e autoridades regulatórias de vários países e também com a Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular.

A reunião com as agências internacionais foi feita no âmbito da Coalizão Internacional de Agências Reguladoras (International Coalition of Medicines Regulatory Authorities ‐ ICMRA), que reuniu um total de 52 representantes de outras agências como a americana, canadense, japonesa, australiana, britânica, irlandesa, dinamarquesa, singapurense, entre outras. A discussão técnica apontou para a necessidade de apresentação de outros dados e o aprofundamento das investigações nos países que invocaram o princípio da precaução para suspender o uso da vacina Oxford/AstraZeneca.

A Anvisa acompanha e busca informações junto às autoridades internacionais de forma constante sobre possíveis eventos adversos relacionados ao uso de todas as vacinas em uso no país.

O lote da vacina que deu início às suspensões feitas por alguns países não veio para o Brasil.

Fonte: https://www.gov.br/anvisa/pt-br/assuntos/noticias-anvisa/2021/atualizacao-monitoramento-de-vacina-de-oxford

Anvisa faz reunião com laboratório Janssen e com Fundo Russo de Desenvolvimento e laboratório União Química

Ao longo desta semana, a ANVISA realizou reunião com representantes de duas vacinas.

Em encontro com o Fundo Russo de Desenvolvimento e o laboratório União Química foram discutidos detalhes sobre a documentação necessária para o pedido de uso emergencial da vacina Sputnik V. Durante a reunião, foram realizadas apresentações referentes às informações sobre qualidade, eficácia e segurança da vacina. Entretanto, o relatório oficial não foi enviado. Estão pendentes dados essenciais para a análise, que estão sendo discutidos entre as partes.

Em relação à Janssen, o objetivo foi realizar troca de informações e orientações com o laboratório sobre os requisitos técnicos para formalização da autorização de uso emergencial da vacina no Brasil. A empresa também ainda não formalizou o pedido junto à Agência.

Fontes: https://www.gov.br/anvisa/pt-br/assuntos/noticias-anvisa/2021/anvisa-faz-reuniao-com-janssen

https://www.gov.br/anvisa/pt-br/assuntos/noticias-anvisa/2021/anvisa-realiza-reuniao-sobre-a-vacina-sputnik-v

Empresas devem informar Anvisa sobre produção e estoque de oxigênio medicinal

As empresas fabricantes, envasadoras e distribuidoras de oxigênio medicinal devem fornecer, semanalmente, informações sobre a capacidade de fabricação, envase e distribuição, estoques disponíveis e quantidade demandada pelo setor público e privado, considerando os escopos de atuação de cada empresa. É o que estabelece o Edital de Chamamento nº 5, de 12 de março de 2021, publicado pela Anvisa em edição extra do Diário Oficial da União deste sábado, 13/03/21.

A medida visa monitorar o abastecimento de mercado e a quantidade demandada de oxigênio medicinal, com o intuito de minimizar o risco de desabastecimento do produto. Dessa forma, o Ministério da Saúde poderá ter previsibilidade sobre o abastecimento de mercado, permitindo a adoção, em tempo hábil, das medidas necessárias à garantia de fornecimento do oxigênio medicinal.

https://www.gov.br/anvisa/pt-br/assuntos/noticias-anvisa/2021/empresas-devem-informar-anvisa-sobre-producao-e-estoque-de-oxigenio-medicinal

OPAS: entregas de vacinas contra a COVID-19 adquiridas pelo COVAX aceleram

As entregas de vacinas contra a COVID-19 estão ganhando velocidade nas Américas à medida que mais países se preparam para a chegada iminente de doses adquiridas por meio do COVAX, o mecanismo global para distribuição equitativa de vacinas, afirmou nesta quarta-feira (17) a diretora da Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS), Carissa F. Etienne.

Durante a coletiva de imprensa semanal da OPAS, Etienne informou que, nos próximos dias, o Fundo Rotatório da Organização entregará 728 mil vacinas contra a COVID-19 adquiridas por meio do COVAX para cinco países da região. A OPAS fez, ao todo, um pedido de mais de 3,4 milhões de doses.

Os próximos embarques para cinco países seguem a entrega de 400 mil doses de vacinas adquiridas pelo COVAX para a região, incluindo Peru, Guatemala, El Salvador, Honduras e Jamaica. A Colômbia recebeu doses adquiridas pelo mecanismo por meio de um programa piloto no início deste mês.

Fonte: https://www.paho.org/pt/noticias/17-3-2021-entregas-vacinas-contra-covid-19-adquiridas-pelo-covax-aceleram

CDC: orientação provisória para testes de SARS-CoV-2 em locais de trabalho fora da área de saúde

O teste no local de trabalho para o SARS-CoV-2 pode identificar trabalhadores com infecção por SARS-CoV-2 e, assim, ajudar a prevenir ou reduzir a transmissão. O objetivo desta orientação é fornecer aos empregadores considerações para a incorporação de testes para SARS-CoV-2 em um plano de preparação, resposta e controle de COVID-19 no local de trabalho não relacionado à saúde.

Este guia inclui descrições de diferentes tipos de testes SARS-CoV-2; cenários onde o teste SARS-CoV-2 pode ser usado; considerações para o teste de triagem (teste de trabalhadores assintomáticos sem exposição conhecida ou suspeita ao SARS-CoV-2); e uso de testes de antígeno para testes de triagem em série, inclusive em locais de trabalho de infraestrutura crítica de alta densidade.

O teste de triagem pode ser eficaz para ajudar a prevenir a transmissão para determinados ambientes de trabalho.

Essas considerações provisórias sobre as estratégias de teste de SARS-CoV-2 para locais de trabalho não relacionados à saúde durante a pandemia de COVID-19 são baseadas no que é atualmente conhecido sobre a transmissão e a gravidade de COVID-19 e estão sujeitas a alterações conforme informações adicionais se tornem disponíveis.

Leia o texto na íntegra em: https://www.cdc.gov/coronavirus/2019-ncov/community/organizations/testing-non-healthcare-workplaces.html

CDC estuda vacina para COVID-19 em gestantes

Se estiver grávida, você pode optar por ser vacinada quando estiver disponível para você. Atualmente, não há evidências de que os anticorpos formados a partir da vacinação COVID-19 causem qualquer problema na gravidez, incluindo o desenvolvimento da placenta. No entanto, os dados são limitados sobre a segurança das vacinas COVID-19 para mulheres grávidas. O CDC estabeleceu o v-safe COVID-19 Vaccine Pregnancy Registry para saber mais sobre esse problema.

O registro está coletando informações de saúde de pessoas que receberam a vacinação COVID-19 no período de periconcepção (30 dias antes da última menstruação) ou durante a gravidez. A informação é crítica para ajudar os indivíduos e seus provedores de saúde a tomar decisões informadas sobre a vacinação COVID-19. A participação é voluntária e os participantes podem cancelar a qualquer momento.

Leia mais em: https://www.cdc.gov/coronavirus/2019-ncov/vaccines/safety/vsafepregnancyregistry.html

Declaração da OMS sobre os sinais de segurança da vacina AstraZeneca COVID-19

Alguns países da União Europeia suspenderam temporariamente o uso da vacina AstraZeneca COVID-19 como medida de precaução com base em relatos de distúrbios raros da coagulação do sangue em pessoas que receberam a vacina. Outros países da UE – tendo considerado as mesmas informações – decidiram continuar usando a vacina em seus programas de imunização.

A vacinação contra COVID-19 não reduzirá doenças ou mortes por outras causas. Eventos tromboembólicos são conhecidos por ocorrerem com frequência. O tromboembolismo venoso é a terceira doença cardiovascular mais comum em todo o mundo.

Em extensas campanhas de vacinação, é rotina para os países sinalizarem eventos adversos potenciais após a imunização. Isso não significa necessariamente que os eventos estejam relacionados à vacinação em si, mas é uma boa prática investigá-los. Também mostra que o sistema de vigilância funciona e que controles eficazes estão em vigor.

A OMS está em contato regular com a Agência Europeia de Medicamentos e reguladores em todo o mundo para obter as informações mais recentes sobre a segurança da vacina COVID-19. O Subcomitê COVID-19 da OMS do Comitê Consultivo Global sobre Segurança de Vacinas está avaliando cuidadosamente os dados de segurança mais recentes disponíveis para a vacina AstraZeneca. Assim que essa revisão for concluída, a OMS comunicará imediatamente as descobertas ao público.

No momento, a OMS considera que os benefícios da vacina AstraZeneca superam seus riscos e recomenda que a vacinação continue.

Fonte: https://www.who.int/news/item/17-03-2021-who-statement-on-astrazeneca-covid-19-vaccine-safety-signals 

Ministério da Saúde libera nota técnica sobre Vacinação em gestantes, puérperas e lactantes

A Nota Técnica Nº 01/2021-DAPES/SAPS/MS, que trata das recomendações para a administração de vacina COVID-19 em gestantes, puérperas e lactantes, com base nas principais referências científicas atuais.

Fonte: http://www.saude.df.gov.br/wp-conteudo/uploads/2018/02/NT-vacinacao-gestantes-peurperas-e-lactantes.pdf

Ministério da Saúde divulga Guia de Vigilância Epidemiológica para COVID-19

O guia visa garantir a manutenção do sistema de vigilância de influenza e de outros vírus respiratórios existente no país, com ênfase na vigilância da COVID-19 devido ao atual cenário pandêmico. Traz orientações sobre as definições de casos de COVID-19, notificações, investigação de casos, testes, entre outros.

Fonte: https://portalarquivos.saude.gov.br/images/af_gvs_coronavirus_6ago20_ajustes-finais-2.pdf

Elaborado por Laura Czekster Anthochevis

Contatos: [email protected] ou http://linkedin.com/in/laura-czekster-antochevis-457603104



Ficou interessado? Veja nossos cursos MBA em CCIH e CME.