Promoção Juho Azul Celeste - Inscrição por apenas R$ 50,00 e mensalidades por apenas R$ 250,00

Páscoa significa renascer, para o cristianismo. Que renasça nossa esperança e as mortes ajudem a conscientizar sobre a gravidade do momento e a necessidade de união pela saúde do próximo. Páscoa é vida e vamos sempre defende-la. Enquanto batemos recordes sucessivos de mortes pelo Covid, para quem acredita na ciência, as novidades não param em termos de origens do vírus, disseminação das suas variantes, tratamento e prevenção. Nosso canal, onde a ciência e a saúde comandam o espetáculo da vida, preparou uma programação bem variada para vocês. 

Programação da TV CCIH de 5 a 10 de abril

Esta é a programação da TVCCIH para a semana de 5 a 10 de abril. Exceto o plantão, as demais atividades são abertas a todos interessados. Em nosso canal vocês encontram mais de 200 atividades com temas interessantes sobre controle de infecção, CME, segurança do paciente, gestão de serviços de saúde e sobre a pandemia em suas mais variáveis implicações.

Dia 05/04. 20 horas. Encontro com professores: Antissépticos na prática hospitalar

  • Neste encontro com a professora Kazuko Graziano vamos falar sobre os antissépticos, seus princípios ativos, formulações, indicações e restrições ao seu emprego.
  • Link: https://youtu.be/Znz4urDa5sI

Dia 06/04. 20 horas. SuperAção: Resistência antibiótica da Pseudômonas

  • O diagnóstico e controle dos mecanismos de resistência da Pseudômonas é um dos grandes desafios para a assistência à saúde e stewardship de antibióticos. Vamos conversar com a microbiologista Ana Streling. Moderação: Filipe Prohaska e Laura Czekster.
  • Link: https://youtu.be/DhbBGMgiZS8

Dia 07/04. 20 horas. Encontro com professores: Exames microbiológicos: indicação, coleta e interpretação

  • Neste encontro com a professora Lucienne França conversamos sobre exames microbiológicos, sua indicação, coleta e interpretação.
  • Link: https://youtu.be/ovHvB5SW5L4

Dia 08/04. 20 horas. SuperAção: Inteligência artificial e o controle de infecção

  • A utilização da inteligência artificial vem se ampliando na assistência à saúde. Conversamos com o infectologista Rodrigo Lins para ver no que pode ajudar no diagnóstico, tratamento e prevenção de infecções. Moderação: Beatriz Grion e Filipe Prohaska.
  • Link: https://youtu.be/zZSuDPz0DS4

Dia 10/04. Das 9 as 12 horas. Plantão MBA: Dúvidas em CME

  • Os professores Kazuko Graziano e Antonio Tadeu estarão de plantão para tirar suas dúvidas em prevenção e controle de infecção. Atividade exclusiva a alunos dos nossos cursos.

ANVISA recebe pedido de importação da vacina Sputnik V

Nove estados da federação protocolaram na Anvisa solicitação de autorização excepcional para importar doses da vacina Sputnik V. Fabricada na Rússia, o imunizante está registrado perante o Ministério da Saúde do país (Ministry of Health of the Russian Federation).

Os pedidos foram encaminhados pelos seguintes estados: Bahia, Acre, Rio Grande do Norte, Maranhão, Mato Grosso, Piauí, Ceará, Pernambuco e Sergipe.

Os processos estão sendo analisados de acordo com a Resolução da Diretoria Colegiada da Anvisa (RDC) 476/2021, que estabelece os procedimentos e requisitos para submissão de pedido de autorização excepcional e temporária para importação e distribuição de medicamentos e vacinas contra Covid-19.

Fonte: https://www.gov.br/anvisa/pt-br/assuntos/noticias-anvisa/2021/anvisa-recebe-pedido-de-importacao-da-vacina-sputnik-v

Anvisa não autoriza importação da vacina Covaxin

 Diretoria Colegiada (Dicol) da Anvisa decidiu, por unanimidade, não autorizar a importação da vacina Covaxin. De acordo com o diretor Alex Machado Campos, relator do processo, após a análise dos documentos foi verificado que o pedido não cumpre com os dispositivos da Lei 14.124/2021 e da Resolução da Diretoria Colegiada (RDC) 476/2021.

Campos esclareceu que a análise realizada não se refere a uma avaliação quanto à autorização de uso emergencial ou registro sanitário da vacina, a qual contemplaria uma avaliação robusta de qualidade, segurança e eficácia, mas tão somente às circunstâncias para autorizar a importação em caráter excepcional da vacina, à luz das evidências disponíveis.

Fonte:   https://www.gov.br/anvisa/pt-br/assuntos/noticias-anvisa/2021/anvisa-nao-autoriza-importacao-da-vacina-covaxin

Anvisa aprova uso emergencial da vacina da Janssen

A Diretoria Colegiada da Anvisa (Dicol) aprovou, nesta quarta-feira (31/3), a autorização temporária para uso emergencial da vacina Janssen COVID19 Vaccine (Ad26.COV2-S, recombinante), desenvolvida pela Janssen, braço farmacêutico da Johnson & Johnson.

A solicitação de uso emergencial foi feita pela empresa no dia 24 de março. A Anvisa concluiu, após a análise dos estudos apresentados, que a vacina protege contra a forma grave da doença e é eficaz para prevenção da Covid-19 em pacientes adultos.

A vacina da Janssen é baseada em vetores de adenovírus sorotipo 26 (Ad26). É indicada para pessoas acima de 18 anos.

O imunizante é aplicado em dose única de 0,5ml e demonstrou, nos testes apresentados, 66,9% de eficácia para casos leves e moderados e 76,7% de eficácia para casos graves, após 14 dias da aplicação.

O prazo de validade é de três meses quando armazenado na temperatura entre 2°C e 8°C. Após aberto, o frasco pode ser utilizado em até seis horas.

Fonte: https://www.gov.br/anvisa/pt-br/assuntos/noticias-anvisa/2021/anvisa-aprova-uso-emergencial-da-vacina-da-janssen

Anvisa recebe pedido para autorização de estudo da vacina Butanvac

Anvisa recebeu o pedido para realização de estudo fase 1 e 2 da vacina Butanvac.

Segundo os procedimentos da Anvisa, a Agência irá analisar a proposta do estudo, o número de participantes e os dados de segurança obtidos até o momento nos estudos pré-clínicos que são realizados em laboratório e animais.

Fonte: https://www.gov.br/anvisa/pt-br/assuntos/noticias-anvisa/2021/anvisa-recebe-pedido-para-autorizacao-de-estudo-da-vacina-butanvac

Anvisa lança ambiente virtual de aprendizagem em vigilância sanitária

Anvisa lançou uma nova plataforma de educação em vigilância sanitária. Intitulada AVA Visa (Ambiente Virtual de Aprendizagem em Vigilância Sanitária), a novidade tem como objetivo promover capacitações e treinamentos na área.

O evento virtual contará com a participação do diretor-presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres, bem como de representantes da Gerência Geral de Gestão de Pessoas (GGPES), da Gerência Geral de Conhecimento, Inovação e Pesquisa (GGCIP) e da Assessoria do Sistema Nacional de Vigilância Sanitária (ASNVS).

A programação contempla uma apresentação da plataforma, que será conduzida pela servidora da Anvisa Cláudia Santiago, e uma palestra sobre as ferramentas de educação corporativa on-line na formação e capacitação em vigilância sanitária, que será ministrada pelo educador Luiz Antônio Quitério.

Por fim, é importante destacar que o AVA Visa será destinado tanto aos profissionais da Agência e do Sistema Nacional de Vigilância Sanitária (SNVS), quanto aos profissionais de saúde, do setor regulado e cidadãos.  

Fonte: https://www.gov.br/anvisa/pt-br/assuntos/noticias-anvisa/2021/anvisa-lanca-ambiente-virtual-de-aprendizagem-em-vigilancia-sanitaria 

Enquadramento de tecidos e produtos antimicrobianos: entenda

Confira a Nota Técnica 20/2021 da Anvisa. Nela você vai encontrar o posicionamento da Agência sobre o enquadramento de tecidos, superfícies e objetos com propriedade antimicrobiana, produtos antimicrobianos para aplicação e produtos com ação antimicrobiana para adicionar à água e deixar os tecidos em imersão.

O documento foi elaborado devido à necessidade de regularização dos diversos produtos inovadores que têm entrado no mercado, diante da pandemia de Covid-19. Esses produtos possuem ação de desinfecção residual, com ação de redução significativa no número de microrganismos infecciosos que podem estar presentes ou depositados em tecidos, superfícies e objetos.

Fonte: https://www.gov.br/anvisa/pt-br/assuntos/noticias-anvisa/2021/enquadramento-de-tecidos-e-produtos-antimicrobianos-entenda

Curso aborda segurança do paciente em serviços odontológicos

Está disponível o “Curso EAD de Segurança do Paciente e Qualidade em Serviços Odontológicos”. Elaborado pela Anvisa e pelo Hospital Moinhos de Vento, do Rio Grande do Sul, o lançamento do curso ocorre na semana da celebração do Dia Nacional de Segurança do Paciente, comemorado todo dia 1° de abril. A atividade é destinada a cirurgiões-dentistas e graduandos em Odontologia e as inscrições podem ser feitas diretamente no portal Hospital Moinhos de Vento – Educação e Pesquisa.

O curso é composto de quatro aulas, com os seguintes temas: segurança do paciente nos serviços de saúde; gestão de riscos à segurança do paciente na assistência odontológica; eventos adversos (EAs) na assistência odontológica; e prevenção de EAs. A carga horária é de seis horas e o período de oferta do curso vai até 15/7/2021.

Fonte: https://www.gov.br/anvisa/pt-br/assuntos/noticias-anvisa/2021/curso-aborda-seguranca-do-paciente-em-servicos-odontologicos

Anvisa recebe pedido de uso emergencial de medicamento para Covid-19

Anvisa recebeu, nesta terça feira (30/3), o pedido de uso emergencial de medicamento para tratar Covid-19 (combinação dos medicamentos biológicos banlanivimabe e etesevimabe), da empresa Eli Lilly do Brasil Ltda. A Agência iniciará a triagem dos documentos presentes no pedido.

As primeiras 24 horas serão utilizadas para fazer uma triagem do processo e verificar se os documentos necessários estão disponíveis. Se houver informações importantes faltando, a Anvisa pode solicitá-las ao laboratório.

Fonte: https://www.gov.br/anvisa/pt-br/assuntos/noticias-anvisa/2021/anvisa-recebe-pedido-de-uso-emergencial-de-medicamento-para-covid-19

Sistema avalia adoção de cultura de segurança do paciente

Já está disponível para preenchimento o “E-Questionário de Cultura de Segurança Hospitalar”, sistema eletrônico para avaliação rápida e confiável da cultura de segurança do paciente (CSP) em hospitais. A iniciativa é da Anvisa, em parceria com o Grupo de Pesquisa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) QualiSaúde da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). O lançamento integra as atividades da Agência previstas para a celebração do Dia Nacional da Segurança do Paciente, comemorado em 1º de abril.

O sistema conta com dois aplicativos gratuitos que dispõem de uma versão traduzida e adaptada para o Brasil da Pesquisa Hospitalar sobre Cultura de Segurança do Paciente (Hospital Survey on Patient Safety Culture – HSOPSC) da Agência de Pesquisa e Qualidade em Saúde (Agency for Healthcare Research and Quality – AHRQ) dos Estados Unidos (EUA).

O sistema permite a profissionais de saúde o preenchimento e o envio automático de questionários, gerando indicadores referentes às 12 dimensões da CSP. Essas dimensões incluem tópicos como a frequência de eventos adversos (EAs) notificados, percepção de segurança e trabalho em equipe.

As dimensões contemplam também expectativas e ações da direção ou supervisão da unidade, comunicação sobre erros identificados, além de informações sobre o apoio da gerência do hospital para a segurança do paciente, entre outros.

Fonte: https://www.gov.br/anvisa/pt-br/assuntos/noticias-anvisa/2021/sistema-avalia-adocao-de-cultura-de-seguranca-do-paciente 

Nota técnica nº 06 de 2020 GVIMS-GGTES-ANVISA – Revisada em 30/03/2021

O documento traz atualizações sobre cirurgias eletivas, triagem de pacientes, composição da equipe, realização de cirurgias em pacientes vacinados, entre outros.

Fonte: https://www.gov.br/anvisa/pt-br/centraisdeconteudo/publicacoes/servicosdesaude/notas-tecnicas/nota-tecnica-06-2020-gvims-ggtes-anvisa.pdf/view

NOTA TÉCNICA GVIMS/GGTES/ANVISA nº 02/2021 – Critérios Diagnósticos das Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde – 2021

A Nota Técnica contém o mesmo conteúdo e critérios da Nota Técnica nº 03 de 2019 GVIMS-GGTES-ANVISA, com a inclusão do critério de pneumonia associada a ventilação mecânica – PAV para pacientes com COVID-19, em virtude da dificuldade relatada pelos profissionais das CCIHs em fechar o critério atual de PAV nesses pacientes.

Fonte: https://ameci.org.br/wp-content/uploads/2021/04/Nota-te%CC%81cnica-de-Crite%CC%81rios-Diagno%CC%81sticos-de-IRAS-2021.pdf

NOTA TÉCNICA Nº 33/2021/SEI/GEVIT/GGTPS/DIRE3/ANVISA

Informações sobre os produtos para diagnóstico in vitro para detecção de anticorpos neutralizantes contra SARS-Cov-2 (Covid-19).

Fonte: https://www.gov.br/anvisa/pt-br/setorregulado/regularizacao/produtos-para-a-saude/notas-tecnicas/nota-tecnica-no-33-2021-sei-gevit-ggtps-dire3-anvisa/view 

Brasil e OPAS lançam vídeo-aulas para qualificar assistência à gestante e puérpera no contexto da pandemia de COVID-19

O Ministério da Saúde do Brasil e a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) lançaram nesta quarta-feira (1) uma série de videoaulas para orientar profissionais de saúde sobre as melhores práticas de assistência a gestantes e puérperas no contexto da pandemia de COVID-19.

O material aborda temas como formas de transmissão, prevenção e uso adequado de equipamento de proteção individual (EPI), inclusive com simulações de colocação e retirada de forma segura; fatores de risco e critérios de gravidade da gestante com COVID-19; diagnóstico laboratorial da doença; telemedicina na assistência à gestante e puérpera no contexto da pandemia; e assistência pré-natal.

As vídeo-aulas também dão ênfase ao manejo das pacientes com COVID-19 em ambiente hospitalar e tratamento farmacológico, a recomendações para o manejo de gestantes com quadros graves de COVID-19, incluindo necessidade de ventilação invasiva e não invasiva, além de demonstração de técnica de pronação para gestantes intubadas.

Fonte: https://www.paho.org/pt/noticias/1-4-2021-brasil-e-opas-lancam-videoaulas-para-qualificar-assistencia-gestante-e-puerpera

Trinta e dois países e territórios das Américas detectaram infecção por uma das três ‘variantes de preocupação’, alerta OPAS

A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) afirmou que 32 países e territórios das Américas notificaram a presença de pelo menos uma das três “variantes de preocupação” do vírus SARS-CoV-2, que causa a COVID-19, de acordo com uma nova atualização epidemiológica.

Essas variantes podem aumentar a transmissibilidade do vírus e sua virulência ou diminuir a eficácia das medidas de saúde pública e sociais ou diagnóstico, vacinas e terapêutica, embora ainda haja muito a ser aprendido sobre elas.

As medidas atuais para reduzir a transmissão – incluindo lavagem frequente das mãos, uso de máscaras, distanciamento físico, boa ventilação e evitar aglomerações ou ambientes fechados – continuam atuando contra as novas variantes, reduzindo a quantidade de transmissão viral e, portanto, reduzindo também a probabilidade de mutação do vírus.

Os países e territórios que notificaram uma ou mais dessas variantes são Argentina, Aruba, Barbados, Belize, Brasil, Bonaire, Canadá, Ilhas Cayman, Chile, Colômbia, Costa Rica, Cuba, Curaçao, República Dominicana, Equador, Guiana Francesa, Guadalupe, Jamaica, Martinica, México, Panamá, Peru, Porto Rico, São Bartolomeu, São Martinho, Santa Lúcia, Trinidad e Tobago, Turcas e Caicos, Estados Unidos da América, Uruguai e Venezuela.

Fonte: https://www.paho.org/pt/noticias/26-3-2021-trinta-e-dois-paises-e-territorios-das-americas-detectaram-infeccao-por-uma-das 

CDC: sobre as variantes do vírus que causa COVID-19

Veja um mapa global mostrando relatórios de variantes em cada país.

B.1.1.7: Esta variante foi identificada pela primeira vez nos EUA em dezembro de 2020. Foi detectada inicialmente no Reino Unido.

B.1.351: Esta variante foi identificada pela primeira vez nos EUA no final de janeiro de 2021. Foi detectada inicialmente na África do Sul em dezembro de 2020.

P.1: Esta variante foi detectada pela primeira vez nos Estados Unidos em janeiro de 2021. P.1 foi inicialmente identificada em viajantes do Brasil, que foram testados durante triagem de rotina em um aeroporto no Japão, no início de janeiro.

B.1.427 e B.1.429: Essas duas variantes foram identificadas pela primeira vez na Califórnia em fevereiro de 2021 e foram classificadas como VOCs em março de 2021.

Essas variantes parecem se espalhar mais fácil e rapidamente do que outras variantes, o que pode levar a mais casos de COVID-19. Um aumento no número de casos colocará mais pressão sobre os recursos de saúde, levará a mais hospitalizações e, potencialmente, a mais mortes.

Até o momento, estudos sugerem que os anticorpos gerados pela vacinação com vacinas atualmente autorizadas reconhecem essas variantes. Isso está sendo investigado de perto e mais estudos estão em andamento.

O cumprimento rigoroso e maior das estratégias de mitigação de saúde pública, como vacinação, distanciamento físico, uso de máscaras, higienização das mãos e isolamento e quarentena, é essencial para limitar a disseminação do vírus que causa COVID-19 e proteger a saúde pública.

Fonte: https://www.cdc.gov/coronavirus/2019-ncov/transmission/variant.html

A OMS pede mais estudos e dados sobre a origem do vírus SARS-CoV-2 e reitera que todas as hipóteses permanecem abertas

O relatório da equipe internacional sobre sua visita de campo a Wuhan, de 14 de janeiro a 10 de fevereiro de 2021, foi publicado hoje quando o Diretor-Geral da OMS, Dr. Tedros Adhanom Ghebreyesus, solicitou mais estudos.

O relatório visa identificar a fonte zoonótica do vírus e a rota de introdução na população humana, incluindo o possível papel de hospedeiros intermediários, inclusive por meio de esforços como missões de campo científicas e colaborativas. ”

Em declarações aos Estados-Membros hoje, o Dr. Tedros, que recebeu o relatório completo no fim de semana, agradeceu à equipa pelo seu trabalho incansável. Ele disse que isso aumenta nosso entendimento de maneiras importantes, ao mesmo tempo em que levanta questões que precisarão ser abordadas em estudos posteriores, conforme observado no relatório. “No que diz respeito à OMS, todas as hipóteses permanecem em jogo. Este relatório é um começo muito importante, mas não é o fim. Ainda não encontramos a fonte do vírus e devemos continuar a seguir a ciência e não deixar pedra sobre pedra como fazemos ”, disse o Dr. Tedros. “Encontrar a origem de um vírus leva tempo e devemos isso ao mundo encontrar a fonte para que possamos tomar medidas coletivas para reduzir o risco de isso acontecer novamente. Nenhuma viagem de pesquisa pode fornecer todas as respostas.”

Fonte: https://www.who.int/news/item/30-03-2021-who-calls-for-further-studies-data-on-origin-of-sars-cov-2-virus-reiterates-that-all-hypotheses-remain-open

Terapêutica e COVID-19: diretriz de vida

A base de evidências para terapêuticas para COVID-19 está aumentando rapidamente, e alguns tratamentos de benefício comprovado têm emergido. Numerosos ensaios clínicos randomizados de muitos medicamentos estão em andamento para informar ainda mais a prática. Esta versão das diretrizes de vida da OMS contém novas informações e uma recomendação sobre ivermectina . Aumento da atenção internacional na ivermectina como um o potencial tratamento para COVID-19 desencadeou esta recomendação.

Fonte: https://www.who.int/publications/i/item/WHO-2019-nCoV-therapeutics-2021.1

Artigo: Efeito do tempo de intubação nos resultados clínicos de pacientes criticamente enfermos com COVID-19: uma revisão sistemática e meta-análise de estudos de coorte não randomizados

Eleni Papoutsi, Vassilis G. Giannakoulis, Eleni Xourgia, Christina Routsi, Anastasia Kotanidou e Ilias I. Siempos

Embora várias diretrizes internacionais recomendem a intubação precoce sobre a tardia de pacientes com doença coronavírus grave 2019 (COVID-19), essa questão ainda é controversa. Nosso objetivo foi investigar o efeito (se houver) do momento da intubação nos resultados clínicos de pacientes gravemente enfermos com COVID-19, realizando uma revisão sistemática e meta-análise.

A evidência sintetizada sugere que o momento da intubação pode não ter efeito sobre a mortalidade e morbidade de pacientes criticamente enfermos com COVID-19. Esses resultados podem justificar uma abordagem de esperar para ver, o que pode levar a menos intubações. Portanto, as diretrizes relevantes podem precisar ser atualizadas.

Fonte: https://ccforum.biomedcentral.com/articles/10.1186/s13054-021-03540-6

Elaborado por Laura Czekster Anthochevis

Contatos: [email protected] ou http://linkedin.com/in/laura-czekster-antochevis-457603104

 



Ficou interessado? Veja nossos cursos MBA em CCIH e CME.