A infecção da corrente sanguínea relacionada a cateter venoso é um problema de saúde pública que pode ocorrer devido à quebra das normas e técnicas assépticas dos procedimentos medico- hospitalares. Este tipo de complicação pode ser prevenido através da adesão sistemática e rigorosa das técnicas assépticas adequadas. É notório que a falta de conscientização da equipe multiprofissional contribui para o aumento dessas infecções hospitalares.

Este estudo se trata de uma estudo de natureza qualitativa, descritivo e exploratório com o objetivo de identificar na literatura científica técnicas de manipulação, inserção e treinamento da equipe multidisciplinar sobre o dispositivo – cateter venoso central (subclávia), por meio de revisão bibliográfica. Foram utilizados livros de enfermagem em infectologia, de infecções relacionadas à assistência à saúde (IRAS) e 6 publicações, da base de dados eletrônica: Lilacs e Scielo, em que 5 publicações da Scielo e 1 da Lilacs.

Durante esta pesquisa foi feita uma análise de 6 publicações, e estas mostraram que as falhas técnicas e a não adesão da normas contribuem para o surgimento e desenvolvimento da infecção da corrente sanguínea, pois está pode ser reduzida e até mesmo evitada pela equipe multiprofissional durante a inserção e manuseio do cateter venoso central (em subclávia) com a adesão dos protocolos, como também as normas técnicas rigorosas e sistemáticas.

Diante desde estudo conclui- se é fundamental a conscientização dos profissionais da saúde sobre os mecanismos de contaminação dos cateteres venosos centrais para prevenir e/ou evitar a infecção da corrente sanguínea através de constantes treinamentos para a diminuição dos casos de infecções hospitalares.

 

Autora: Renata Marcondes Monteiro Tcholakian

 


Ficou interessado? Veja nossos cursos MBA em CCIH e CME.