Design sem nome

Em 17 de janeiro de 2020, a SES/SP recebeu a notificação de um caso confirmado de vírus do gênero Mammarenavirus, da família dos arenavírus e com aproximadamente 90% de similaridade com a espécie Sabiá. Trata-se de um indivíduo adulto, procedente de Sorocaba/SP, que iniciou  com sinais e sintomas em 30/12/2019, com quadro de odinofagia, dor epigástrica, associado com náuseas, vertigem, xerostomia e mialgias, evoluindo com dispneia, febre, confusão mental, manifestação hemorrágica, falência multissistêmica, e vindo a  óbito em 11/01/2020. A transmissão dos arenavírus de pessoa a pessoa pode ocorrer quando há contato muito próximo e prolongado ou em ambientes hospitalares, quando não utilizados equipamentos de proteção, por meio de contato com sangue, urina, fezes, saliva, vômito, sêmen e outras secreções ou excreções 1,3. Procedimentos de geração de aerossóis, como intubação orotraqueal, ventilação mecânica não invasiva e aspiração das vias aéreas superiores, também estão envolvidos na transmissão de humano para humano. O arenavírus não era identificado no país há mais de 20 anos.

O Boletim Epidemiológico disponibilizado pelo Ministério da Saúde traz informações importantes sobre os sintomas, diagnóstico e medidas de prevenção. Confira mais em

http://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2020/janeiro/20/Boletim-epidemiologico-SVS-03.pdf.

 

Nota redigida por: Laura Czekster Antochevis
Fonte: Boletim epidemiológico 02/2020 Ministério da Saúde


Ficou interessado? Veja nossos cursos MBA em CCIH e CME.