Inscreva-se já.

O estudo visou avaliar os preditores espaciais e sociodemográficos das taxas de SSI de hospitais no interior do estado de São Paulo. Foram coletados dados de casos de SSI reportados e os números totais de cirurgias relatadas por hospitais ao Programa para Controle de Infecção do estado de São Paulo (SPPIC). Possíveis razões para os resultados incluem, mas não se limitam a deficiência de recursos técnicos e humanos, maior severidade do quadro de pacientes atendidos em hospitais públicos; os autores citam ainda a possível associação entre privação social e maior risco individual de SSI.

Qual a justificativa do estudo?

Os países de baixa a média rendas costumam ter alta incidência de infecção de sítio cirúrgico (SSI). Considerando a primazia de SSIs entre as infecções associadas aos cuidados em saúde (HAIs), dados de vigilância podem ser uma ferramenta interessante para direcionar iniciativas regionalizadas de IPC.

Qual o objetivo do estudo?

O estudo visou avaliar os preditores espaciais e sociodemográficos das taxas de SSI de hospitais no interior do estado de São Paulo – 606 cidades fora da área metropolitana e que soma aproximadamente 20 milhões de habitantes.

Qual metodologia foi empregada?

Este estudo analisou e georreferenciou dados governamentais de vigilância de 385 hospitais localizados no interior de São Paulo. Foram coletados dados de casos de SSI reportados e os números totais de cirurgias relatadas por hospitais ao Programa para Controle de Infecção do estado de São Paulo (SPPIC). Foram utilizados os números de casos e procedimentos cirúrgicos reportados em 2018, resgatados da base de dados do SPPIC.

Análise estatística foi realizada utilizando modelos uni e multivariados de regressão binomial inflacionada de zero. A análise estatística foi realizada utilizando o STATA 14 e para fins de visualização espacial, um mapa de densidade de Kernel com a taxa média de SSI foi construído.

Quais os principais resultados?

385 hospitais localizados em 215 municipalidades reportaram casos de SSI ao SPPIC.

Em modelos multivariados, as taxas de SSI foram positivamente associadas à distância da capital do estado, e foram menores para organizações sem fins lucrativos e instalações privadas em comparação com hospitais públicos.

Ressalta-se que após o ajuste a outras variáveis, nem o tamanho do hospital ou a complexidade do cuidado requerido foram significantemente associadas com a incidência reportada de SSI.

Imagem2

Quais as conclusões e recomendações finais?

Os resultados do georreferenciamento reforçaram a necessidade de direcionar as políticas de prevenção de SSI para hospitais localizados em áreas distantes da capital estadual.

Os autores citam uma enquete que apontou em hospitais de pequeno e médio porte a presença de diversas não-conformidades estruturais para IPC, incluindo deficiências nos processos de esterilização.

Possíveis razoes para os resultados incluem, mas não se limitam a, deficiência de recursos técnicos e humanos, maior severidade do quadro de pacientes atendidos em hospitais públicos; os autores citam ainda a possível associação entre privação social e maior risco individual de SSI.

É recomendado pelos pesquisadores que estratégias incluindo auditorias de práticas preventivas de IPC e medidas educacionais sejam direcionadas a áreas do estado de São Paulo localizadas longe da capital estadual.

Que limitações possui o estudo?

Os autores declaram algumas limitações como o design de caráter ecológico do estudo, a análise suscetível a viés devido a subnotificação de SSI ao sistema de vigilância e uma possível superestimava dos hospitais com zero eventos reportados.

Que críticas e observações finais?

O intuito dos autores não foi de prover explicação causal para as SSIs, mas representa um ponto inicial para raciocinar sobre a epidemiologia dessas infecções em configurações com poucos recursos. Um ponto importante é que não foram avaliadas as estruturas das comissões de controle de infecção, suas estratégias de busca de casos, se efetivamente utilizam os critérios diagnósticos oficiais e se realizam busca pós-alta. A não avaliação ou uniformidade deste processo, compromete os resultados finais do estudo, aoesar do estudo sugerir linhas interessantes de pesquisa, como descritas abaixo.

Sugerem a realização de intervenções preventivas pelo SPPIC e ressaltam a necessidade de realização de auditorias eficientes em hospitais de interesse (como aqueles com taxa elevada ou aqueles que apresentaram taxa 0)

O mapa de densidade de Kernel é extremamente interessante e permite visualização clara de regiões problemáticas.

Fonte: Carvalho AGML, Limaylla DC, Vilches TN, de Almeida GB, Madalosso G, de Assis DB, Fortaleza CMCB. Spatial and sociodemographic factors associated with surgical site infection rates in hospitals in inner São Paulo State, Brazil. J Hosp Infect. 2021 Feb;108:181-184

Sinopse por: Maria Julia Ricci

Contato: [email protected]



Ficou interessado? Veja nossos cursos MBA em CCIH, CME e EQS