Legriel e colegas enviaram carta aos editores da revista avaliando a importância do número de acessos vasculares simultâneos na colonização ou infecção relacionada ao acesso vascular.

Durante um ano foi encaminhada para cultura a ponta de todos cateteres vasculares estudados (cateter venosos central, cateter arterial, cateter de diálise), sendo realizada a técnica de Brun-Buisson que tem como ponto de corte acima de 1.000 UFC por ml. Dos 402 pacientes avaliados, 57% utilizaram um ou mais cateteres. Os seguintes fatores de risco para colonização ou infecção foram observados: presença de três cateteres vasculares simultâneos (OR 30,28; p=0,004); média do número de cateteres vasculares dia em UTI (OR 5,10 por dia p<0,0001); estadia em UTI com pelo menos um cateter vascular (OR 1,08 por dia p< 0,0001; duração da estadia em UTI (OR 1,05 por dia p=0,0002).

Os próprios autores criticam seu trabalho argumentando que colonização não é sinônimo de infecção, mas dizem que estes dados indicam que maiores estudos devem ser realizados procurando correlacionar maior ocorrência de infecção com o número de acessos vasculares concomitantes.

Fonte: American Journal of Infection Control: vol 39, pags 83-84, fev 2011

Resenha elaborada por Antonio Tadeu Fernandes para CCIH Revista

 

Revisado e atualizado por Antonio Tadeu Fernandes
para Memória CCIH


Ficou interessado? Veja nossos cursos MBA em CCIH e CME.