Foi desenvolvida uma luva que tem sua superfície externa impregnada com gendine, uma associação de clorexidina com violeta de genciana.

Esta substância tem sido aplicada em dispositivos invasivos (sonda vesical, cateter vascular e tudo traqueal) para prevenir sua colonização. Foi observada, em estudos experimentais, uma redução da contaminação microbiana artificialmente induzida da ordem de 5 log 10 após um minuto de exposição para os principais microrganismos isolados em infecção hospitalar, inclusive os multirresistentes.

Na minha opinião, falta avaliar seu papel em situações da prática clinica, para discutir como seria empregada, quando trocar e seu real impacto sobre a transmissão cruzada de infecções.

Fonte: American Journal of Infection Control 42 (2014): 55-59.
Resenha realizada por Antonio Tadeu Fernandes para CCIH revista.


Ficou interessado? Veja nossos cursos MBA em CCIH e CME.