Inscreva-se já.

Dados compilados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) indicam a gravidade das interrupções causadas na prestação de serviços de saúde para doenças tropicais negligenciadas (DTNs), com menos pessoas tratadas durante campanhas de tratamento em grande escala, em comparação com mais de um bilhão anualmente desde 2015

Os dados relatados à OMS pelos países em setembro de 2021 mostram que 732 milhões de indivíduos receberam tratamento para pelo menos uma das cinco DTNs em 2020.

Os números também mostram que, em 2020, a OMS coordenou a distribuição de 1,081 bilhão de tratamentos2 em todo o mundo.

“As interrupções são generalizadas, conforme indicado na pesquisa de pulso da OMS, no início deste ano, com intervenções baseadas na comunidade e programas de tratamento em grande escala impactados em 60% dos países”, disse o Dr. Afework H. Tekle, Chefe de Unidade, Operações Estratégicas, Departamento de Controle de Doenças Tropicais Negligenciadas. “Os programas de DTN também tiveram que lidar com outros fatores associados à pandemia, como atrasos na produção, interrupções no envio e entrega de medicamentos doados para tratar populações afetadas e em risco e redefinição de pessoal essencial.”

Relatórios de dados e interrupções

Até agora, 62 países informaram sobre a implementação de programas de tratamento em larga escala (quimioterapia preventiva ou administração de medicamentos em massa) para pelo menos uma das cinco doenças-alvo. No total, 344,6 milhões foram tratados para filariose linfática, 94 milhões para oncocercose, 429 milhões para helmintíases transmitidas pelo solo, 66,1 milhões para esquistossomose e 32,8 milhões para tracoma.

As outras maneiras pelas quais as atividades de DTN foram afetadas incluem:

  • interrupção de intervenções baseadas na comunidade;
  • atrasos no diagnóstico, tratamento e cuidados, e outros serviços baseados em unidades de saúde;
  • interrupção das atividades de monitoramento, relatório e avaliação;
  • reaproveitamento de recursos financeiros.

As consequências para a saúde das interrupções podem aumentar a carga das DTNs, atrasar o cumprimento das metas de saúde pública estabelecidas para algumas DTNs, bem como impactar a coleta, análise e compartilhamento de dados epidemiológicos para fins de planejamento.

Medidas de mitigação

Para mitigar o impacto da pandemia nas atividades de DTN, a OMS deu passos decisivos para implementar medidas que compreendem:

  • desenvolvimento de diversos documentos de orientação e recursos online;
  • advocacia, consolidação da liderança, webinars, divulgação de informações e fornecimento de aconselhamento técnico personalizado aos Estados-Membros e parceiros;
  • aconselhamento sobre a adaptação de plataformas NTD para acomodar as atividades do COVID-19, incluindo lavagem das mãos na comunidade, rastreamento de contatos, aumento da conscientização, tratamento da desinformação e fornecimento de suprimentos de saneamento;
  • monitoramento da produção, remessa, entrega e distribuição de medicamentos DTN e outros consumíveis médicos; e
  • modelagem para avaliar o impacto no cumprimento das metas.

Algumas dessas medidas permitiram uma retomada progressiva das intervenções baseadas na comunidade, especialmente programas de tratamento em larga escala, e uma melhoria geral das atividades de DTN, embora permaneçam lacunas significativas nos serviços.

https://www.who.int/news/item/24-09-2021-neglected-tropical-diseases-2020-preventive-chemotherapy-treatment-coverage-declines-due-to-covid-19-disruptions

Sinopse por Laura Czekster Anthochevis

Contatos: [email protected] ou http://linkedin.com/in/laura-czekster-antochevis-457603104



Ficou interessado? Veja nossos cursos MBA em CCIH, CME e EQS