Inscreva-se já.

Alertando que a COVID-19 representa um sério risco para mulheres grávidas na América Latina e no Caribe, a diretora da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), Carissa F. Etienne, pediu aos países que priorizem gestantes e lactantes na vacinação contra a doença.

“Sabemos que se as mulheres grávidas adoecerem, elas terão um risco maior de desenvolver sintomas graves da COVID-19 e precisarão com mais frequência de ventilação e cuidados intensivos, quando comparadas às mulheres que não estão grávidas”, disse Etienne durante a coletiva de imprensa semanal da OPAS. “Elas também têm uma chance maior de dar à luz ao bebê mais cedo ou prematuramente”.

“A OPAS recomenda que todas as mulheres grávidas, após o primeiro trimestre, bem como as mulheres que estão amamentando, recebam a vacina contra a COVID-19”, ressaltou a diretora da OPAS. Ela acrescentou que as vacinas contra a COVID-19 aprovadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) são seguras para administração durante a gravidez e são uma ferramenta crítica para proteger as gestantes durante a pandemia.

Mais de 270 mil mulheres grávidas contraíram COVID-19 nas Américas até agora e mais de 2,6 mil morreram em decorrência do vírus. O problema é particularmente crítico no México e na Colômbia, onde a COVID-19 se tornou a principal causa de mortes maternas em 2021.

https://www.paho.org/pt/noticias/8-9-2021-diretora-da-opas-pede-que-paises-priorizem-mulheres-gravidas-e-lactantes-na



Ficou interessado? Conheça nossos cursos MBA's e Express