As Unidades de Terapia Intensiva (UTI) foram criadas a partir da necessidade de atendimento ao paciente cujo estado crítico exige assistência e observação contínua de profissionais de saúde. Os pacientes internados em UTI encontram-se fisicamente enfraquecidos em consequência do trauma ou processo patológico, dificultando assim suas defesas orgânicas.

A Pneumonia Associada à Ventilação mecânica (PAV) encontra-se como um dos efeitos adversos mais temerosos no ambiente da UTI. Desta forma, objetivou-se relatar a importância dos cuidados de enfermagem na prevenção de Pneumonias Associadas à Ventilação Mecânica.

Trata-se de um estudo de cunho exploratório, por meio de uma pesquisa bibliográfica, sendo selecionados artigos científicos com base de dados na BDENF, publicados no período de janeiro de 2009 a abril de 2015. Em um universo de 44 artigos consultados, apenas 07 estavam de acordo com os descritores da pesquisa.

Os resultados obtidos apontam que uma adoção de medidas preventivas de forma adequada, garante a minimização da ocorrência desta patologia que ascende com frequência nas UTI’s.

Conclui-se que há necessidade de provocar reflexões nos enfermeiros que atuam em UTIs, no sentido de explicitar a singularidade do seu trabalho nesses cenários, cuja complexidade repercute em uma dinâmica diferenciada articulando trabalho assistencial e gerencial no cuidado a pacientes críticos em UTIs.

 

Autora: FRANCINE GONÇALVES HONÓRIO

 


Ficou interessado? Veja nossos cursos MBA em CCIH e CME.