coronavírus

China: cloroquina apresenta ação contra coronavírus?

A publicação abaixo fala de ensaio clínico realizado em 10 hospitais da China, nas regiões mais afetadas pela doença, que comprova resultados positivos no tratamento com cloroquina de pacientes com pneumonia associada ao Covid-19, comparados ao uso de placebos. Segundo este relato, a cloroquina empregada no tratamento da malária, tem ação anti-inflamatória e antiviral, interferindo na fixação do vírus nas células do hospedeiro. O artigo coloca esta droga como segura, pois é empregada há mais de 70 anos e diz que foi utilizada em mais de 100 pacientes promovendo remissão da pneumonia e conversão da viremia. Infelizmente, o artigo é apenas uma carta aos editores da revista, sem apresentar detalhes do ensaio e até seus resultados, impossibilitando uma análise crítica de seus achados. Será fake News?

Fonte: https://www.jstage.jst.go.jp/article/bst/advpub/0/advpub_2020.01047/_pdf/-char/en

Diretora da OPAS conclama países das Américas a intensificarem atividades de preparação e resposta para COVID-19

“Os países das Américas estão se preparando, há várias semanas, para a possível importação de casos de COVID-19. Existem medidas para detectar, diagnosticar e tratar pacientes com a doença”, disse a diretora da OPAS, Etienne. “Colocar uma forte ênfase na interrupção da transmissão continua sendo um objetivo importante, embora reconheçamos que a situação pode variar de país para país e exigir respostas específicas”, afirmou.

Fonte: https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=6114:diretora-da-opas-conclama-paises-das-americas-a-intensificarem-atividades-de-preparacao-e-resposta-para-covid-19&Itemid=812 

CDC confirma possível disseminação comunitária do COVID-19 nos EUA

O CDC confirmou uma infecção pelo vírus que causa o COVID-19 na Califórnia, em uma pessoa que supostamente não possuía histórico de viagem relevante ou exposição a outro paciente conhecido com COVID-19. Também é possível, no entanto, que o paciente possa ter sido exposto a um viajante infectado.

Fonte: https://www.cdc.gov/media/releases/2020/s0226-Covid-19-spread.html

OMS: Declaração sobre Turismo e COVID-19 pede responsabilidade e coordenação

A Organização Mundial de Saúde (OMS) e a Organização Mundial de Turismo (OMT) estão comprometidas em trabalhar juntas para orientar a resposta dos setores de viagens e turismo ao COVID-19. As duas entidades estão em constante discussão para ajudar os Estados a garantir que as medidas de saúde sejam implementadas de maneira a minimizar interferências desnecessárias no tráfego e comércio internacional.

Fonte: https://www.who.int/news-room/detail/27-02-2020-a-joint-statement-on-tourism-and-covid-19—unwto-and-who-call-for-responsibility-and-coordination

Brasil monitora 132 casos de coronavírus

Subiu para 132 o número de casos suspeitos de coronavírus monitorados pelo Ministério da Saúde no Brasil. Os critérios para a definição de caso suspeito enquadram agora, as pessoas que apresentarem febre e mais um sintoma gripal, como tosse ou falta de ar e tiveram passagem pela Alemanha, Austrália, Emirados Árabes, Filipinas, França, Irã, Itália, Malásia, Jápão, Singapura, Coreia do Sul, Coreia do Norte, Tailândia, Vietnã e Camboja, além da China, nos últimos 14 dias.

Até o momento, 60 casos suspeitos de coronavírus já foram descartados em todo o Brasil, que permanece apenas com o registro de um caso confirmado da doença no estado de São Paulo. Para evitar a proliferação do vírus, o Ministério da Saúde recomenda medidas básicas de higiene, como lavar as mãos com água e sabão, utilizar lenço descartável para higiene nasal, cobrir o nariz e a boca com um lenço de papel quando espirrar ou tossir e jogá-lo no lixo. Evitar tocar olhos, nariz e boca sem que as mãos estejam limpas.

Fonte: http://bit.ly/2I6AZjk

Campanha de Vacinação contra a gripe será antecipada

A previsão é de que as 75 milhões de doses sejam aplicadas a partir de 23 de março e não mais na segunda quinzena de abril. A medida é uma forma de auxiliar os profissionais de saúde a descartarem influenza na triagem de casos para o coronavírus.

De acordo com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, mesmo que a vacina não apresente eficácia contra o coronavírus, é uma forma de auxiliar os profissionais de saúde a descartarem as influenzas na triagem e acelerarem o diagnóstico para o coronavírus. “A campanha acontecerá em âmbito nacional, como as anteriores. Vamos começar por gestantes, crianças até seis anos, puérperas e idosos. Depois, incluiremos outras categorias. Dessa forma, espera-se que o vírus tenha menor propagação”, explicou o ministro.

Fonte: http://bit.ly/38aU7ae


Ficou interessado? Veja nossos cursos MBA em CCIH e CME.