O estudo apresenta alguns desafios relacionados ao controle e prevenção da Infecção Hospitalar. Ressalta que este evento indesejado tem interferido negativamente na qualidade da assistência, o que acarreta muitas vezes, agravamento do quadro clínico de alguns pacientes podendo levá-los à morte.

Destaca a multiplicidade de elementos que envolvem a infecção hospitalar, pois esta se apresenta como final de uma corrente complexa de acontecimentos e esta condição dificulta o seu controle e sua prevenção. Estes elementos estão presente na rotina dos estabelecimentos de saúde: os fluxos de roupas e dos resíduos; os produtos químicos; objetos; os próprios pacientes; os acompanhantes; os processos de trabalho; os materiais de acabamento, e muitos outros fatores. Diante desta complexidade e dos resultados desfavoráveis em seu controle, este trabalho ressalta a necessidade de um olhar abrangente para as questões relacionadas ao seu controle. E ressalta a necessidade que profissionais de várias áreas do conhecimento reúnam esforços na busca por um ambiente seguro.

Percebe-se no senso comum, uma visão reducionista sobre a Ergonomia, vinculada às questões referentes a posturas e o levantamento de cargas. Entretanto, a Ergonomia é cada vez mais presente em todas as atividades humanas, principalmente nos setores de serviços (saúde, educação, transportes, lazer, e muitos outros). Este estudo propõe uma reflexão sobre a atuação da Ergonomia no controle e prevenção deste evento indesejado.

Apresenta a Ergonomia contribuindo com uma analise do trabalho de forma global na busca por: saúde, segurança, satisfação, eficiência e um ambiente seguro.

 

Autora: Sarita de Oliveira Ferreira Lopes

 


Ficou interessado? Veja nossos cursos MBA em CCIH e CME.