Inscreva-se já.

A lavagem das mãos – uma das práticas mais eficazes de prevenção – é realizada menos da metade do quanto necessário. O objetivo deste estudo brasileiro foi investigar a associação entre aderência as práticas de controle de infecção e a performance em testes psicológicos. O escopo foi determinar potenciais alvos para estudos intervencionais.

Qual a justificativa do estudo?

Infecções relacionadas aos cuidados de saúde são um constante desafio a todo o sistema de saúde. Apesar da grande disponibilidade de melhores práticas baseadas em evidências, a adesão as práticas de prevenção e controle de infecção continua a ser baixa. A lavagem das mãos – uma das práticas mais eficazes de prevenção – é realizada menos da metade do quanto necessário.

No caso das infecções de corrente sanguínea relacionadas a utilização de cateteres vasculares, a maior parte poderia ser evitada se praticas de controle de infecção baseadas em evidência fossem corretamente aplicadas durante a inserção e manutenção do cateter. Na prática, contudo, a aderência dos profissionais de saúde a tais práticas é insatisfatória e continua a ser um importante desafio.

Qual o objetivo do estudo?

O objetivo deste estudo brasileiro foi investigar a associação entre aderência as práticas de controle de infecção e a performance em testes psicológicos. O escopo foi determinar potenciais alvos para estudos intervencionais.

Qual metodologia foi empregada?

Os autores conduziram um estudo observacional prospectivo envolvendo profissionais de saúde em 4 unidades de cuidados intensivos do Hospital das Clínicas (SP). Todos os profissionais envolvidos – médicos e enfermeiros – foram observados por 3 meses por observadores treinados.

Os profissionais de enfermagem foram observados durante a realização de curativo e manutenção de cateter venoso central e foi levado em consideração a lavagem de mãos antes do procedimento, uso de luvas, desinfecção do local com álcool ou antisséptico e lavagem das mãos pós-procedimento. Os profissionais médicos foram observados durante os 5 momentos da OMS ( https://www.who.int/gpsc/5may/Your_5_Moments_For_Hand_Hygiene_Poster.pdf) e foram observados em todas as oportunidades de lavagem de mãos.

Os profissionais foram então avaliados psicologicamente nas seguintes áreas: estilo de pensamento racional e intuitivo, autoestima, qualidade de vida, stress e personalidade.

Quais os principais resultados?

Foram realizadas 7.572 observações de 248 profissionais de saúde, sendo 53 enfermeiros, 93 médicos, 34 técnicos de enfermagem e 68 auxiliares de enfermagem. 166 participantes concluíram também os testes psicológicos.

O estudo revelou uma aderência muito baixa as práticas de prevenção de infecção. A taxa de aderência foi associada a unidade de trabalho/departamento, idade (para médicos) e categoria profissional (para profissionais de enfermagem); além disso as características psicológicas de relevância foram autoestima e personalidade.

A aderência aos diferentes passos da manipulação do cateter variou amplamente: de 13% para higiene das mãos a 95% para o uso de luvas. A aderência a higiene das mãos variou de 14% antes a 99% depois do curativo. Para os médicos, a higiene das mãos variou de 10% antes de tocar os pacientes a 98% após contato com fluidos corpóreos, e a aderência foi associada com a idade, autoestima e agressividade. Para enfermeiras, a aderência foi positivamente associada a deferência e negativamente associada ao acolhimento.

Quais as conclusões e recomendações finais?

Os resultados encontrados estão em linha com a tendencia mundial de baixa aderência (30-40%) as medidas de prevenção e controle de infecção. Os pesquisadores concluem que variantes psicossociais afetam a qualidade dos cuidados de saúde e devem, portanto, ser levadas em consideração. Definem como próximo passo a definição de quais tipos de intervenção psicológica podem ser eficazes para influenciar positivamente as variáveis modificáveis no contexto de cuidados a saúde.

Os pesquisadores concluem que variantes psicossociais afetam a qualidade dos cuidados de saúde. Declaram como próximo passo a ser realizado a definição de quais tipos de intervenção psicológica são possivelmente eficazes.

Quais as limitações do estudo?

Os autores ressaltam algumas limitações; as principais foram a realização do estudo em um único centro e por tempo limitado.

Que críticas e observações?

O estudo realizado por pesquisadores brasileiros apresenta dados muito interessantes e que demonstram a importância de fatores biopsicossociais no dia a dia dos professionais de saúde e na aderência a práticas de prevenção de infecção. A compreensão de que a aplicação de técnicas e práticas de prevenção pode estar relacionada a autoestima e personalidade de cada individuo é o primeiro passo para a elaboração de estratégias de melhoria a aderência a tais práticas de modo eficaz. O respeito a individualidade de cada ser humano é presente em diversos âmbitos e discursos atuais. Contudo ainda não foi incorporado de modo eficaz na elaboração/aplicação de protocolos de prevenção; entender como trabalhar com a multiplicidade de personalidades dentro de um time de profissionais de saúde pode ser um passo fundamental para a melhoria da qualidade de cuidados e para o sucesso das estratégias de IPC.

Nos nossos MBAs temos módulos que discutem de forma pioneira fatores determinantes do comportamento humano, como classificar personalidades, estilo de aprendizado, gerenciamento de estresse e emoções, entre outros tópicos. Este conhecimento auxilia na compreensão de atitudes e mostra caminhos que favorecem as atividades educativas e o autoconhecimento.

Fonte: Assis GR, Benuti GG, Moretto MLT, Vidigal CG, Santos RPD, Lobo RD, Padoveze MC, Pedroso de Lima AC, Singer JM, Levin AS. Psychological characteristics are associated with healthcare worker adherence to infection control practices. Am J Infect Control. 2021 Jul;49(7):879-884

Sinopse por: Maria Julia Ricci

E-mail: [email protected]

Linkedin: www.linkedin.com/in/mariajuliaricci

Instagram: @mariajuliaricci_



Ficou interessado? Conheça nossos cursos MBA's e Express