A grande polêmica, introduzida principalmente pela política brasileira durante o pior problema mundial de saúde pública dos últimos 100 anos, é o uso da cloroquina ou hidroxicloroquina para o tratamento do Covid-19. Apresentamos o protocolo “científico” elaborado pelo governo e o posicionamento de várias entidades científicas alertando sob os possíveis riscos de seu emprego. A decisão ainda cabe a cada médico, mas haverá uma pressão social para seu emprego, mesmo sem evidências conclusivas, que na nossa opinião terão pouca importância, tal grau de politização da medida, reflexo de nossa sociedade, que ao invés de unida para combater o mal, está cada vez mais dividida.  Também apresentamos posicionamento da ANVISA sobre opções terapêuticas para Covid-19, entre outros temas relacionados à pandemia. 

Ministério da Saúde divulga orientações sobre o tratamento dos pacientes com COVID-19

Dia 20/05, o MS liberou um documento com orientações para o tratamento medicamentoso precoce de pacientes com diagnóstico da COVID-19.  O documento traz orientações de tratamento conforme a classificação da apresentação da doença: sinais e sintomas leves, moderados ou graves. Mesmo que ainda não estejam disponíveis ensaios clínicos randomizados controlados robustos, o MS recomenda o uso de cloroquina ou hidroxicloroquina, associadas com azitromicina.

Fonte: https://saude.gov.br/images/pdf/2020/May/20/ORIENTA—-ES-D-PARA-MANUSEIO-MEDICAMENTOSO-PRECOCE-DE-PACIENTES-COM-DIAGN–STICO-DA-COVID-19.pdf

O MS também disponibiliza um modelo de Termo de Ciência e Consentimento para a administração de cloroquina ou hidroxicloroquina em associação com azitromicina, que será assinado pelos pacientes que quiserem adotar o referido protocolo de tratamento.

Fonte: https://saude.gov.br/images/pdf/2020/May/20/Termo-de-Cie–ncia-e-Consentimento-Hidroxicloroquina-Cloroquina-COVID-19.pdf

Entidades científicas se posicionam sobre o uso de cloroquina no tratamento da COVID-19

Através de revisão da literatura científica, o grupo de pesquisadores explica que as conclusões dos estudos internacionais, multicêntricos e randomizados ora em curso, com previsão de divulgação para algumas semanas, são as únicas garantias de oferta de tratamentos seguros e eficazes a pacientes com COVID-19. Qualquer tentativa de substituir os resultados dessas pesquisas por análises de estudos observacionais é uma falsa solução, que pode acarretar elevados riscos, incluindo morte, aos pacientes, por efeitos colaterais conhecidos e previsíveis.

Em uma situação de emergência global de saúde pública, como a Pandemia causada pelo SARS-CoV-2, cabe ao Poder Público garantir o bem-estar da população de forma responsável e embasada em conhecimento produzido pela ciência e não a submeter ao risco adicional de um tratamento sem garantias de segurança e eficácia sob a chancela de uma política nacional de saúde.

A nota foi elaborada por representantes das seguintes entidades: Associação Brasileira de Saúde Coletiva, Academia Nacional de Medicina, Faculdade de Medicina/UFRJ, Instituto Oswaldo Cruz/Fiocruz, Fundação de Medicina Tropical do Amazonas Doutor Heitor Vieira Dourado e Universidade do Estado do Amazonas, Centro de Estudos Estratégicos/Fiocruz, Centro de Referência Hélio Fraga/ENSP/Fiocruz, Instituto Questão de Ciência e Instituto de Ciências Biomédicas/USP, Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas/Fiocruz.

Fonte: https://www.abrasco.org.br/site/wp-content/uploads/2020/05/Nota-CQ-HCQ-20-05-2020-01h00.pdf 

Tratamento de COVID-19: Confira o consenso entre Associação de Medicina Intensiva Brasileira, da Sociedade Brasileira de Infectologia e da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia

No último dia 19, a Associação de Medicina Intensiva Brasileira, Sociedade Brasileira de Infectologia e Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia, divulgaram um documento com diretrizes para o tratamento farmacológico da COVID-19.

Confira o resumo das 11 recomendações realizadas no guideline:

Recomendação 1: Sugerimos não utilizar hidroxicloroquina ou cloroquina de rotina no tratamento da COVID-19 (recomendação fraca, nível de evidência baixo)

Recomendação 2: Sugerimos não utilizar a combinação de hidroxicloroquina ou cloroquina e azitromicina de rotina no tratamento da COVID-19 (recomendação fraca, nível de evidência muito baixo)

Recomendação 3: Recomendamos não utilizar oseltamivir no tratamento da COVID-19, em pacientes sem suspeita de infecção por influenza (recomendação forte, nível de evidência muito baixo)

Recomendação 4: Sugerimos utilizar tratamento empírico com oseltamivir em pacientes com síndrome respiratória aguda grave, ou em síndrome gripal com fatores de risco para complicações, onde não se possa descartar o diagnóstico de influenza (recomendação fraca, nível de evidência muito baixo)

Recomendação 5: Sugerimos não utilizar lopinavir/ritonavir de rotina no tratamento da COVID-19 (recomendação fraca, nível de evidência baixo)

Recomendação 6: Sugerimos não utilizar glicocorticosteroides de rotina em pacientes com COVID-19 (recomendação fraca, nível de evidência muito baixo)

Recomendação 7: Sugerimos não utilizar tocilizumabe de rotina no tratamento da COVID-19 (recomendação fraca, nível de evidência muito baixo)

Recomendação 8: Recomendamos utilizar profilaxia para tromboembolismo venoso de rotina em pacientes hospitalizados com COVID-19 (recomendação forte, nível de evidência muito baixo)

Recomendação 9: Sugerimos não utilizar heparinas em dose terapêutica de rotina no tratamento da COVID-19 (recomendação fraca, nível de evidência muito baixo)

Recomendação 10: Sugerimos não utilizar antibacterianos profilático em pacientes com suspeita ou diagnóstico da COVID-19 (recomendação fraca, nível de evidência muito baixo)

Recomendação 11: Recomendamos utilizar antibacterianos em pacientes com COVID19, com suspeita de coinfecção bacteriana (recomendação não graduada)

Fonte: https://www.amib.org.br/fileadmin/user_upload/amib/2020/maio/19/Diretrizes_para_o_Tratamento_Farmacologico_da_COVID_-_v18mai2020__2_.pdf

UNA-SUS lança portal com informações sobre o Covid-19

A Universidade aberta do SUS lançou um portal, atualizado constantemente, com informações científicas importantes sobre o Covid-19, trazendo orientações para os profissionais de saúde e a população em geral. Apresenta atualidades, notícias, vários links importantes além de acesso à aplicativo “CORONAVIRUS SUS”.

Fonte: https://www.unasus.gov.br/especial/covid19/

ANVISA: Transfusão de plasma: como prevenir eventos adversos

A ANVISA disponibilizou a Nota Técnica 10/2020, que reúne informações sobre a identificação e a prevenção de possíveis eventos adversos referentes à transfusão de plasma, diante das manifestações clínicas da Covid-19. O objetivo do documento é orientar os procedimentos de registro desses eventos, de forma a contribuir para a qualificação das notificações, facilitando a consolidação dos dados e seu posterior uso.

Fonte: http://portal.anvisa.gov.br/noticias/-/asset_publisher/FXrpx9qY7FbU/content/transfusao-de-plasma-como-prevenir-eventos-adversos/219201?p_p_auth=0rYF2TNP&inheritRedirect=false&redirect=http%3A%2F%2Fportal.anvisa.gov.br%2Fnoticias%3Fp_p_auth%3D0rYF2TNP%26p_p_id%3D101_INSTANCE_FXrpx9qY7FbU%26p_p_lifecycle%3D0%26p_p_state%3Dnormal%26p_p_mode%3Dview%26p_p_col_id%3D_118_INSTANCE_KzfwbqagUNdE__column-2%26p_p_col_count%3D2

Webinar ANVISA: regulação de medicamentos para COVID-19

Na próxima quarta-feira (27/5), a partir das 15h, a Anvisa irá promover um Webinar sobre a atuação da Agência frente à regularização de medicamentos para o tratamento da Covid-19. Durante o seminário virtual, será abordado o papel pré-mercado desses medicamentos.

Fonte: http://portal.anvisa.gov.br/noticias/-/asset_publisher/FXrpx9qY7FbU/content/webinar-pre-mercado-de-medicamentos-para-covid-19/219201?p_p_auth=0rYF2TNP&inheritRedirect=false&redirect=http%3A%2F%2Fportal.anvisa.gov.br%2Fnoticias%3Fp_p_auth%3D0rYF2TNP%26p_p_id%3D101_INSTANCE_FXrpx9qY7FbU%26p_p_lifecycle%3D0%26p_p_state%3Dnormal%26p_p_mode%3Dview%26p_p_col_id%3D_118_INSTANCE_KzfwbqagUNdE__column-2%26p_p_col_count%3D2 

ANVISA: Crescem casos de intoxicação infantil por álcool gel

A Anvisa também divulgou a NT 12/2020, para reduzir os riscos à saúde causados pelo aumento da exposição tóxica por álcool gel no país e orienta a população sobre a adoção de ações preventivas direcionadas principalmente às crianças, que são as vítimas mais comuns.

A NT foi elaborada com base nos dados dos Centros de Informação e Assistência Toxicológica (CIATox). Para se ter uma ideia do crescimento dos casos de intoxicação por álcool gel, de janeiro a abril deste ano houve 108 registros, frente a 15 casos em 2018 e 17 no ano de 2019. É perceptível, portanto, o aumento expressivo dos casos em 2020, fazendo com que esta ocorrência seja relacionada ao enfrentamento da pandemia do novo coronavírus, uma vez que a higienização frequente das mãos tem sido incentivada como forma de prevenir o contágio.

Fonte: http://portal.anvisa.gov.br/noticias?p_p_id=101_INSTANCE_FXrpx9qY7FbU&p_p_col_id=column-2&p_p_col_pos=1&p_p_col_count=2&_101_INSTANCE_FXrpx9qY7FbU_groupId=219201&_101_INSTANCE_FXrpx9qY7FbU_urlTitle=crescem-casos-de-intoxicacao-infantil-por-alcool-gel&_101_INSTANCE_FXrpx9qY7FbU_struts_action=%2Fasset_publisher%2Fview_content&_101_INSTANCE_FXrpx9qY7FbU_assetEntryId=5883662&_101_INSTANCE_FXrpx9qY7FbU_type=content

Diretora da OPAS pede que países protejam grupos vulneráveis dos efeitos da pandemia de COVID-19

A diretora da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), Carissa F. Etienne, alertou nesta terça-feira (19) para os efeitos da pandemia de COVID-19 sobre as populações mais vulneráveis nas Américas, desde pessoas com poucos recursos financeiros até indígenas.  “O vírus está surgindo em nossa região. Estamos cada vez mais preocupados com pessoas em situação de pobreza e outros grupos vulneráveis com maior risco de doença e morte pelo vírus. O recente aumento de casos e fatalidades se deve, em parte, ao vírus se enraizar nesses grupos”, explicou a diretora da OPAS em coletiva de imprensa.

“Durante uma pandemia, devemos superar as desigualdades estruturais que limitam o acesso aos serviços. Isso significa estabelecer mecanismos que apoiam o acesso universal à saúde, independentemente da renda, reunindo recursos com o setor privado e sem fins lucrativos, eliminando o pagamento no ponto de serviço e instalando hospitais de emergência que agreguem capacidade onde é mais necessário”, disse Etienne.

Fonte: https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=6175:diretora-da-opas-pede-que-paises-protejam-grupos-vulneraveis-dos-efeitos-da-pandemia-de-covid-19&Itemid=812

OMS: visão geral da saúde pública e medidas sociais no contexto do COVID-19

Em resposta ao COVID-19, países em todo o mundo adotaram uma série de medidas sociais e de saúde pública, que são ações de indivíduos, instituições, comunidades, governos locais e nacionais e organismos internacionais, para suprimir ou impedir a disseminação da comunidade O objetivo deste documento é fornecer uma visão geral das medidas sociais e de saúde pública e propor estratégias para limitar qualquer dano possível resultante dessas intervenções. O documento visa informar as autoridades nacionais e locais de saúde e outros tomadores de decisão em todos os níveis.

Fonte: https://www.who.int/publications-detail/overview-of-public-health-and-social-measures-in-the-context-of-covid-19

CDC: publicações sobre COVID-19 para laboratórios

CDC reúne os artigos científicos mais recentes que envolvem diagnóstico laboratorial.

Fonte: https://www.cdc.gov/coronavirus/2019-ncov/lab/publications.html 

Ações do FDA frente ao COVID-19

No último dia 19, o FDA aprovou a injeção de cloreto de succinilcolina USP 200 mg / 10 mL, indicada para facilitar a intubação traqueal e proporcionar relaxamento muscular esquelético durante cirurgia ou ventilação mecânica. Os efeitos colaterais da injeção de cloreto de succinilcolina incluem anafilaxia, hipercalemia e hipertermia maligna. O FDA reconhece o aumento da demanda por certos produtos durante a nova pandemia de coronavírus e continuamos profundamente comprometidos em facilitar o acesso a produtos médicos para ajudar a atender às necessidades críticas do público americano.

Fonte: https://www.fda.gov/news-events/press-announcements/coronavirus-covid-19-update-daily-roundup-may-19-2020

Sinopse por: Laura Czekster Anthochevis


Ficou interessado? Veja nossos cursos MBA em CCIH e CME.