Atualização COVID-19: 04-05-20

Neste boletim trazemos informações sobre os testes diagnósticos, sobre o uso de remdesivir válidas para os Estados Unidos e como está sua utilização no Brasil. O FDA dá dicas importantes sobre o que fazer com suas compras em supermercados e como cuidar de seu animal de estimação durante esta pandemia. 

Saiba mais sobre a diferença entre a técnica de PCR e os testes sorológicos para o diagnóstico de COVID-19

A rede de medicina diagnóstica Fleury preparou um guia para ilustrar as diferenças entre as duas metodologias, e como devemos interpretar os resultados obtidos em cada teste.

Link: https://www.ccih.med.br/testes-disponiveis-para-o-diagnostico-da-covid-19/

Anvisa está em contato com fabricante do remdesivir

Nesta sexta-feira (01/5), o Food and Drug Administration (FDA) autorizou o uso do remdesivir nos Estados Unidos para tratamento da doença em pacientes hospitalizados em estado grave.

A ANVISA já entrou em contato com a empresa que fabrica o remdesivir no exterior, a fim de acompanhar a evolução dos estudos do medicamento para o tratamento da COVID-19.  Por enquanto, o remdesivir não possui pedido de registro no Brasil, e também não houve solicitação de anuência em pesquisa clínica com o medicamento remdesivir.

Fonte: http://portal.anvisa.gov.br/noticias/-/asset_publisher/FXrpx9qY7FbU/content/anvisa-esta-em-contato-com-fabricante-do-remdesivir/219201?p_p_auth=uPhKaUFM&inheritRedirect=false&redirect=http%3A%2F%2Fportal.anvisa.gov.br%2Fnoticias%3Fp_p_auth%3DuPhKaUFM%26p_p_id%3D101_INSTANCE_FXrpx9qY7FbU%26p_p_lifecycle%3D0%26p_p_state%3Dnormal%26p_p_mode%3Dview%26p_p_col_id%3D_118_INSTANCE_KzfwbqagUNdE__column-2%26p_p_col_count%3D2 

Ministério da Saúde contrata 267 profissionais de saúde para atuar no Amazonas

O estado do Amazonas ganhará, a partir de segunda-feira (4) um reforço de 267 profissionais de saúde, contratados pelo Ministério da Saúde, para atuar no enfrentamento à Covid-19. São 37 médicos, 118 enfermeiros, 57 técnicos em enfermagem, 26 fisioterapeutas, 12 farmacêuticos e 17 biomédicos. Estes profissionais se inscreveram na ação estratégica “O Brasil Conta Comigo”, que está cadastrando e capacitando profissionais, residentes e estudantes da área de saúde de todo o país para atuarem no atendimento à população diante da pandemia de coronavírus, em apoio aos estados e municípios que mais precisam. A contratação destes profissionais é temporária, por até seis meses, e remunerada de acordo com o salário base de cada categoria.

CDC: Testes para o diagnóstico de COVID-19

Como já falamos em outros artigos, existem dois tipos de testes disponíveis para o COVID-19: testes virais e testes de anticorpos. O CDC publicou algumas informações importantes para a aplicação dos testes e a interpretação dos resultados:

  • Um teste viral informa se você tem uma infecção atual.
  • Um teste de anticorpos informa se você teve uma infecção anterior
  • Um teste de anticorpos pode não ser capaz de mostrar se você tem uma infecção atual, pois pode levar de uma a três semanas após a infecção para produzir anticorpos.
  • Ainda não sabemos se ter anticorpos contra o vírus pode proteger alguém de ser infectado pelo vírus novamente ou quanto tempo essa proteção pode durar.

Quem deve ser testado?

Para saber se você tem uma infecção atual, são usados testes virais. Mas nem todo mundo precisa desse teste.

  • A maioria das pessoas tem doenças leves e pode se recuperar em casa sem assistência médica e pode não precisar ser testada.
  • O CDC tem orientações sobre quem deve ser testado, mas as decisões sobre o teste são tomadas pelos departamentos de saúde ou por prestadores de serviços de saúde externos e estaduais.

Resultados

  • Se você testar positivo para COVID-19 por um teste viral, saiba que medidas de proteção devem ser tomadas se estiver doente ou cuidando de alguém.
  • Se você testar negativo para COVID-19 por um teste viral, provavelmente não estava infectado no momento em que sua amostra foi coletada. No entanto, isso não significa que você não ficará doente. O resultado do teste significa apenas que você não tinha o COVID-19 no momento do teste.
  • Se você testar positivo ou negativo para o COVID-19, não importa o tipo de teste, você ainda deve tomar medidas preventivas para proteger a si e aos outros.

Link: https://www.cdc.gov/coronavirus/2019-ncov/symptoms-testing/testing.html

Atualização das atividades do FDA no enfrentamento ao COVID-19

Como já comentamos, dia 1º de maio o FDA emitiu uma Autorização de Uso de Emergência (EUA) para o remdesivir, antiviral sob investigação. O EUA permite que o remdesivir seja distribuído no país e administrado pelos prestadores de serviços de saúde, conforme apropriado, para tratar suspeita ou infecção confirmada por COVID-19, em adultos e crianças hospitalizadas com doença grave. A doença grave é definida como pacientes com baixos níveis de oxigênio no sangue ou que necessitam de oxigenoterapia ou de suporte respiratório mais intensivo, como um ventilador mecânico. Com base na avaliação dos critérios de autorização de uso de emergência e nas evidências científicas disponíveis, foi determinado que é razoável acreditar que o remdesivir pode ser eficaz no tratamento do COVID-19 e que, visto que não existem tratamentos alternativos adequados, aprovados ou disponíveis , os benefícios conhecidos e potenciais para tratar esse vírus sério ou com risco de vida superam os riscos conhecidos e potenciais de uso do medicamento.

Dadas as muitas perguntas que as pessoas têm sobre segurança nas compras de supermercado, o FDA postou um vídeo, “12 dicas para compras de supermercado durante a pandemia”, para aconselhar os consumidores.

A Food and Drug Administration oferece algumas perguntas e respostas para ajudar a manter você, sua família e seus animais de estimação seguros durante a pandemia, como por exemplo:

Posso obter COVID-19 do meu animal de estimação ou de outros animais?

  1. Com base nas informações limitadas disponíveis até o momento, o risco de animais de estimação espalharem o vírus que causa o COVID-19 em pessoas é considerado baixo. No momento, não há evidências de que os animais tenham um papel significativo na disseminação do vírus que causa o COVID-19. Há um pequeno número de animais em todo o mundo relatados como infectados pelo vírus que causa o COVID-19, principalmente após ter contato próximo com uma pessoa com COVID-19.

Até aprendermos mais sobre como esse vírus afeta os animais, trate os animais de estimação como faria com os membros da família humana para protegê-los de uma possível infecção. Isso significa:

  • Não permita que animais de estimação interajam com pessoas ou outros animais fora da casa.
  • Mantenha os gatos dentro de casa sempre que possível, para evitar que eles interajam com outros animais ou pessoas.
  • Passeie com os cães mantendo pelo menos 2 metros de outras pessoas e animais.
  • Evite parques de cães ou locais públicos onde um grande número de pessoas e cães se reúna.
  • Se seu animal de estimação ficar doente ou você tiver alguma dúvida sobre a saúde dele, converse com seu veterinário.

Se eu ficar doente com COVID-19, posso infectar meu animal com o vírus?

  1. Ainda estamos aprendendo sobre esse vírus, mas parece que ele pode se espalhar de pessoas para animais em algumas situações. Se você está doente ou pensa que está com COVID-19, o Centro de Controle de Doenças (CDC) recomenda que você limite o contato com animais até que mais informações sejam conhecidas sobre o novo coronavírus.

Isso significa que você deve evitar o contato com seu animal de estimação, incluindo acariciar, aconchegar, ser beijado ou lambido e compartilhar comida ou roupa de cama. Se possível, peça a outro membro da família que cuide do seu animal de estimação enquanto estiver doente. Se você precisar cuidar do seu animal de estimação ou ficar perto de animais enquanto estiver doente, lave as mãos antes e depois de interagir com seus animais de estimação e use uma cobertura de pano no rosto.

Fonte: https://www.fda.gov/emergency-preparedness-and-response/counterterrorism-and-emerging-threats/coronavirus-disease-2019-covid-19

Redigido por: Laura Czerkster Anhochevis


Ficou interessado? Veja nossos cursos MBA em CCIH e CME.