Inscreva-se já.

A Diretoria Colegiada (Dicol) da Anvisa aprovou por unanimidade, nesta quarta-feira (15/9), a atualização da Resolução da Diretoria Colegiada (RDC) 55/2015, que trata dos requisitos de boas práticas para bancos de tecidos humanos. O objetivo é aprimorar as regras de segurança e qualidade dos tecidos (córnea, osso, pele, entre outros) recebidos por meio de doações e fornecidos para tratamento de doenças.

De acordo com a Agência, foram atualizados os procedimentos para a realização de testes laboratoriais para a detecção de agentes infecciosos causadores de doenças como HIV e hepatites B e C, bem como os requisitos para triagem clínica e social do doador, visando aumentar ainda mais a proteção dos receptores (pacientes) de tecidos humanos.

Umas das tecnologias incluídas no rol de exames foi o teste NAT (Nucleic Acid Testing – teste de ácido nucleico), que é mais sensível e específico do que outros para a detecção de agentes infecciosos.

https://www.gov.br/anvisa/pt-br/assuntos/noticias-anvisa/2021/aprovada-atualizacao-da-norma-de-boas-praticas-para-bancos-de-tecidos

Sinopse por Laura Czekster Anthochevis

Contatos: [email protected] ou http://linkedin.com/in/laura-czekster-antochevis-457603104



Ficou interessado? Veja nossos cursos MBA em CCIH, CME e EQS