Este estudo tem como objetivo compreender de que forma aprendizes adultos, neste caso, trabalhadores dos serviços de saúde, que utilizam seus sentidos, habilidades e capacidades para adquirir conhecimentos, ou seja, para desenvolver o poder de gerar impressões próprias, assimilar idéias, analisar, raciocinar, julgar, criar, resolver problemas e, desta forma, modificar continuamente suas práticas sociais.

Esta análise parte do princípio que a relação andragógica se funda essencialmente na relação humana, por isto a reflexão sobre educação deve passar prioritariamente pela qualidade das relações e dos vínculos que se estabelecem no contexto de um processo de ensino-aprendizagem. Dentro desta discussão será destacada a intersubjetividade – visto que implica as diferenças – como o princípio para o processo ensino-aprendizagem. Esta seria então uma relação de grande complexidade, que deve ser considerada em seus diversos aspectos, pois suas origens e seus desdobramentos enraízam-se nas vivências e interesses – pessoais e coletivas – de cada elemento envolvido na relação.

 

Autoras: ELAINE ARAÚJO ROCHA SILVA; CAMILLA COSTA FRANÇA CARDOSO; e FERNANDA MENDES AZEVEDO

 


Ficou interessado? Veja nossos cursos MBA em CCIH e CME.