Qual foi o objetivo do estudo?

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), em 18 de março de 2020, os casos confirmados da Covid-19 já haviam ultrapassado 214 mil em todo o mundo. Não existiam planos estratégicos prontos para serem aplicados a uma pandemia de coronavírus – tudo é novo. Recomendações da OMS, do Ministério da Saúde do Brasil, do Centers for Disease Control and Prevention (CDC, Estados Unidos) e outras organizações nacionais e internacionais sugeriram a aplicação de planos de contingência de influenza e suas ferramentas, devido às semelhanças clínicas e epidemiológicas entre esses vírus respiratórios. Esses planos de contingência previram ações diferentes de acordo com a gravidade das pandemias.

Qual foi sua justificativa?

Esta análise da epidemia de Covid-19 foi sendo modificada quando novas informações foram sendo adicionadas. Contudo, ressalta-se a necessidade de que a comunidade científica e as equipes nacionais e internacionais de vigilância epidemiológica tenham muita cautela ao monitorar as tendências da epidemia, analisando criticamente os instrumentos disponíveis para entender a situação. 

Qual é a metodologia foi empregada?

Através de busca ativa de informações de acordo com o desenrolar dos acontecimentos da pandemia. O artigo não informa bases de dados pesquisadas, nem os termos livres e indexados utilizados.

Quais foram os principais resultados?

Destacam-se ainda os indicadores encontrados para os profissionais de saúde. Entre os profissionais chineses, a letalidade foi menor do que entre a população geral daquele país. Entretanto, em relação à incidência, o Grupo Itália para Medicina de Evidência (Italy Group for Evidence Medicine) reportou que 8,3% do total de casos da Covid-19 registrados na Itália ocorreram em profissionais de saúde, o dobro do reportado na China (3,8%). Estes foram os dados destacados neste estudo, enfatizando a participação dos profissionais de saúde entre os afetados pela pandemia

Quais foram as conclusões e recomendações finais?

Para superação desse desafio, vários países propuseram a criação de unidades específicas para avaliação clínica de pessoas de média gravidade, possibilitando a concentração de investimentos em equipamentos e a liberação dos fluxos nas unidades de maior complexidade, necessárias para os casos mais graves.

Quais são críticas e observações finais?

É necessário ter uma análise constante das variáveis de saúde e que possa criar dispositivos para o controle e prevenção dos casos de Covid – 19.  Contribuíram na concepção e delineamento do artigo, análise e interpretação dos dados, redigiram a primeira versão do manuscrito e o revisaram criticamente. Todos os autores aprovaram a versão final e são responsáveis por todos os aspectos do trabalho, incluindo a garantia de sua precisão e integridade.

Este artigo tem uma importância mais histórica ao identificar algumas tendências na incidência e gravidade da doença, particularmente em profissionais de saúde. A abordagem retirando informação da influenza foi uma estratégia inicial, mas a evolução e gravidade dos casos, mostrou as implicações econômico e sociais da pandemia, que ainda está nos afetando.

Fonte: Freitas ARR et cols. Análise da gravidade da pandemia de Covid – 19.  Epidemiol. Serv. Saúde, Brasília. 1-5, 2020

Sinopse por: Noia Dantas Beltrão

Contato: [email protected]


Ficou interessado? Veja nossos cursos MBA em CCIH e CME.